Entidades repudiam post de pastor que desejou a morte de Paulo Gustavo; grupo entrará na Justiça

O Grupo Gay de Alagoas informou ainda que acionará a direção da Assembleia de Deus nacional e a do estado de Alagoas sobre a conduta de José Olímpio

Escrito por Diário do Nordeste/Dhiego Maia Gonçalves/Folhapress,

Zoeira
Diariamente, a família de Paulo Gustavo divulga boletins médicos sobre o estado de saúde do ator
Legenda: Diariamente, a família de Paulo Gustavo divulga boletins médicos sobre o estado de saúde do ator
Foto: Reprodução/Instagram

 O pastor José Olímpio, da igreja evangélica Assembleia de Deus de Alagoas, causou polêmica ao se manifestar contra a recuperação do ator e humorista Paulo Gustavo, 42. O fato motivou 30 entidades que militam pelos direitos LGBTQIA+ a repudiarem as palavras dele em uma carta aberta.

Além disso, o Grupo Gay de Alagoas diz que vai entrar com uma representação contra ele no Ministério Público do estado.

O artista está internado com Covid-19 há mais de um mês em estado grave na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) de um hospital da zona sul do Rio de Janeiro. 

Em suas redes sociais, o pastor José Olímpio publicou uma foto em que o ator aparece caracterizado atrás de um crucifixo. Na legenda da foto, o líder religioso escreveu: "Esse é o ator Paulo Gustavo que alguns estão pedindo oração e reza. E você vai orar ou rezar? Eu oro para que o dono dele o leve para junto de si".

A publicação de Olímpio, feita na última quinta-feira (15), ganhou grande repercussão e recebeu uma avalanche de manifestações de repúdio na internet. "Isso é uma pessoa que segue quem for, menos a Deus", escreveu uma internauta. "Vamos divulgar para que esse crime chegue às autoridades", disse outro fã do artista.

Organizações da sociedade civil que militam pelos direitos LGBTQIA+ também redigiram uma carta pública contra as palavras do pastor.

"O ato criminoso de violência, praticado por este líder religioso, contra o ator Paulo Gustavo, que se encontra internado em virtude de problemas de saúde causadas pela Covid-19, problema sério de saúde pública e sanitária mundial, fere severamente não só Paulo, mas todas as vítimas da doença, a comunidade LGBTQIA+, classe artística e a todos os cidadãos de bem que tenham bom senso e sintam empatia por seu próximo", diz um trecho.

Crime

Entre as 30 entidades que assinam o documento contra o líder religioso estão a Aliança Nacional LGBT, o Grupo Gay da Bahia e a Rebraca (Rede Brasileira de Casas de Acolhimento para pessoas LGBTIs). Para as organizações, o pastor cometeu crime de homofobia. Em 2019, o STF (Supremo Tribunal Federal) reconheceu a homofobia e a transfobia no rol dos crimes de racismo até que o Congresso Nacional aprove uma lei específica.

Nildo Correia, presidente do Grupo Gay de Alagoas, disse que vai encaminhar uma representação contra o pastor ao Procurador Geral do Estado, Francisco Malaquias de Almeida Júnior. "Ele cometeu homofobia ao desejar a morte de Paulo Gustavo pelo simples fato de o artista ser gay", afirmou.

Correia também adiantou que vai comunicar a direção da Assembleia de Deus nacional e a do estado de Alagoas sobre a conduta de Olímpio. "Acreditamos que a instituição não deve comungar com a postura dele como membro", disse o ativista.

O F5 entrou em contato com a Igreja Assembleia de Deus neste domingo (18), mas não localizou nenhum representante para comentar o caso. Pedidos de resposta foram deixados nos e-mails da instituição religiosa.
A reportagem também procurou o pastor José Olímpio, que apagou a postagem original contra o ator Paulo Gustavo e alterou seu perfil nas redes sociais. O líder religioso ainda não havia se manifestado até a publicação desta reportagem.

Como ocorreu a internação de Paulo Gustavo

Paulo Gustavo foi internado no dia 13 de março após testar positivo para a Covid-19, informação divulgada pela assessoria dele dois dias depois. Ele chegou a apresentar melhoras após os cuidados médicos iniciais.

Após uma semana, no dia 21 de março, o ator precisou ser intubado por apresentar dificuldade para respirar. O marido dele, Thales Bretas, disse, na ocasião, que a medida era "mais um passo na cura da infecção".

O ator respondeu bem ao tratamento e chegou a ter evolução nos dias posteriores. Contudo, no dia 2 de abril, Paulo Gustavo mostrou piora no estado de saúde, passando a ter necessidade da ECMO para respirar.

Dois dias após a aplicação da técnica, o ator precisou passar por uma pleuroscopia, o que ajudaria a equipe médica a verificar a condição dos pulmões dele. 

Já na última quarta-feira (7), Thales Bretas informou que Paulo Gustavo precisou de uma transfusão de sangue, uma vez que ele ficou "anticoagulado" e perdeu "um pouco de sangue" devido ao ECMO.

Depois de ficar com quadro clínico estável, o ator voltou a apresentar pioras. Um dia após os novos sinais de gravidade, a humorista Tatá Werneck divulgou que ele estava melhorando. Na última terça-feira (13), o paciente completou um mês de internação.

Assuntos Relacionados