Presidente do PSDB no Ceará diz que impasse com Doria não enfraquece o partido

O ex-senador Luiz Pontes considera que é momento de partidos dialogarem em torno de projeto político para a disputa presidencial

Escrito por Luana Barros, luana.barros@svm.com.br

PontoPoder
João Dória
Legenda: Possibilidade de desistência do governador de São Paulo, João Dória, à disputa presidencial têm movimentado o PSDB nesta quinta-feira (31)
Foto: Wilson Dias / Agência Brasil

Para o presidente do PSDB no Ceará, o ex-senador Luiz Pontes, o impasse sobre a candidatura do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), à presidência da República não enfraquece o partido, que deve trabalhar "em torno de um nome que possa realmente representar a terceira via".

A saída de Doria da disputa presidencial chegou a ser dada como certa, após notícias que o governador teria comunicado a decisão a aliados e assessores nesta quinta-feira (31). Contudo, o PSDB lançou a pouco nota para reafirmar a pré-candidatura do tucano. 

Na nota, assinada pelo presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, fica reforçado que as prévias tucanas - da qual Doria saiu vitorioso - "serão respeitadas" e que "não haverá qualquer contestação" à candidatura. A disputa interna na legenda começou após o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), que saiu derrotado das prévias, anunciar que irá renunciar ao cargo e dizer que pretende concorrer ao Palácio do Planalto.

Leite chegou a indicar que poderia sair da legenda tucana, mas acabou decidindo pela permanência. Nos bastidores, era apontado que grandes lideranças do PSDB a nível nacional apoiavam uma possível candidatura de Eduardo Leite, apesar do resultado das prévias, o que teria sido um dos motivos para Doria querer desistir da pré-candidatura. 

Desistência de Doia

Indagado sobre o que significaria uma possível desistência de Doria, Luiz Pontes considera que representaria "um sentimento de que é necessária a união dessas forças políticas" para a construção de um nome unificado da terceira via. 

"Está brotando um sentimento, das principais lideranças do Brasil, de que, se não deixar os interesses de lado e se não houver uma unidade para tirar o Brasil da situação em que se encontra, nós vamos continuar nessa política Lula-Bolsonaro, Bolsonaro-Lula que só tem feito mal ao país". 
Luiz Pontes
Presidente do PSDB no Ceará

Para Pontes, possível desistência de Doria e outras diálogos que vem ocorrendo a nível nacional - como a filiação do ex-juiz Sérgio Moro ao União Brasil e a possível desistência dele quanto a pré-candidatura ao Planalto - indicam que "chegou a hora" de construção de uma terceira via "em cima de um projeto político", com a participação de diferentes partidos. 

Nomes para a terceira via

Um dos nomes que o ex-senador aponta é o de Eduardo Leite, que foi derrotado por Doria nas prévias do partido. Na época, Leite contou com o apoio do senador Tasso Jereissati e do próprio Luiz Pontes para a disputa no Ceará, apesar de parlamentares tucanos terem resolvido apoiar Doria. 

Para Luiz Pontes, nomes de outros partidos também podem unificar a terceira via. Ele cita como exemplos a senadora Simone Tebet, do MDB, e Ciro Gomes, do PDT. 

"O PSDB tem que estar trabalhando para trazer um nome que possa tirar o Brasil dessa situação. Em torno de um nome que possa realmente representar a terceira via", ressalta.