Vulcabras produzirá tênis Mizuno no Ceará

A produção da marca japonesa será feita na unidade de Horizonte. E a expectativa é gerar entre 2 mil e 3 mil novos empregos

Legenda: Camilo Santana e Pedro Grendene se cumprimentam após o anúncio. A produção terá início em janeiro de 2021
Foto: Divulgação

Após reunião com Pedro Grendene Bartelle, CEO da Vulcabras Azaleia, o governador Camilo Santana anunciou nesta quinta-feira (24) que a empresa passará a produzir os tênis da marca japonesa Mizuno no Ceará. “Todos os tênis da marca mizuno para o Brasil serão produzidos aqui no Ceará. É uma grande notícia, são novos investimentos que o grupo fará no Ceará”, disse o governador durante live em suas redes sociais, que contou também com a  presença de André Bartelle, executivo do grupo, e do secretário de Desenvolvimento Econômico do Ceará, Maia Júnior.

Os tênis Mizuno serão produzidos na fábrica de Horizonte a partir de janeiro de 2021. E a expectativa é de que a operação gere entre 2 mil e 3 mil novos empregos.

“A Vulcabras conseguiu concluir negociações para se tornar o licenciado e distribuidor da marca Mizuno no Brasil a partir do primeiro dia do ano que vem”, disse Pedro Grendene. “Iniciaremos a produção o mais breve possível. Faremos investimentos para que isso possa ser possível, beneficiando a economia do Estado, a própria empresa, e os quase nove mil funcionários que a empresa tem hoje”.

A Vulcabras já produz as marcas Olympikus e Under Armour no Ceará.

Transação

Com investimento de R$ 32,5 milhões, a Vulcabras fechou acordo com a Alpargatas para a compra da unidade de negócio relativa à operação da marca Mizuno no Brasil, de acordo com fato relevante das duas companhias divulgado na segunda-feira (21). A empresa conta hoje com cerca de 14 mil colaboradores no País.

"O fechamento da operação está sujeito ao cumprimento de determinadas condições precedentes, incluindo a segregação de tal unidade de negócio em uma nova sociedade, a assinatura entre Vulcabras e Mizuno Corporation de um contrato de distribuição e a aprovação da operação junto ao Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência, e apenas acontecerá após o cumprimento destas", disse a Alpargatas em nota.

A mudança vem como uma surpresa para o mercado, uma vez que, em 2014, a Alpargatas havia anunciado a renovação do acordo com a Mizuno por 13 anos, renováveis por outros 13. A parceria entre a companhia brasileira e a japonesa havia começado em 1997 e envolvia o pagamento de royalties.

A estrutura de pagamento entre a as duas empresas prevê que os recebíveis não serão transferidos para a Vulcabras, enquanto a Vulcabras irá pagar o valor estimado de R$ 32,5 milhões à Mizuno, sendo R$ 10 milhões até o fechamento da operação e o valor remanescente em até 5 dias úteis após a determinação do valor final, ajustado pelo estoque a ser apurado no momento do fechamento do negócio.

Vulcabras/Azaleia

A Vulcabras possui hoje duas unidades produtivas localizadas no município cearense de Horizonte - localizada na Grande Fortaleza - e em Itapetinga, na Bahia. A empresa ainda conta com centros administrativos em Jundiaí (SP) e na capital paulista, além de um centro tecnológico de desenvolvimento de calçados, localizado em Parobé (RS).

Com a conclusão do negócio, a Vulcabras celebrará contrato de licenciamento e poderá produzir no país produtos da marca Mizuno, incluindo calçados, vestuários e acessórios, e comercializar os produtos diretamente ao consumidor, através de lojas próprias e do site do Mizuno, por um "prazo que será superior a 10 anos".

Segundo a empresa, o negócio Mizuno teve receita operacional líquida de aproximadamente R$ 444 milhões no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2019. Maior marca esportiva brasileira e líder na venda de tênis no país, o portfólio atual de marcas da Vulcabras inclui Azaleia, Olympikus e Under Armour.

Under Armour

Em outubro de 2018, a Vulcabras já havia ampliado o seu portfólio com o acordo de licenciamento com a Under Armour, marca americana de equipamentos esportivos. Fabricados na unidade de Horizonte, os produtos foram desenvolvidos especialmente para o mercado brasileiro e a comercialização foi iniciada em abril do ano passado. 

O destaque nos seis modelos nacionais é a Charged Cushioning, tecnologia de amortecimento com duas camadas de EVA que interagem para proporcionar proteção contra o impacto, gerando a energia necessária para impulsionar a corrida de rua. O formato geométrico do solado permite a substituição da placa estabilizadora por um solado com estabilidade integrada, resultando em calçados mais leves e com maior eficiência no amortecimento.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios

Assuntos Relacionados