Volta do turismo: Gol retoma operação do hub de Fortaleza em outubro

Seis meses após o cancelamento generalizado de voos provocado pela pandemia, retomada de operações no próximo mês marca retorno do hub. No Estado, expectativa é que ocupação média em hotéis no litoral chegue a 80%

Legenda: As conexões também servirão para alimentar os voos a Paris (França) pela parceira Air France, que serão retomados em 30 de outubro
Foto: Helene Santos

Em meio ao crescimento da demanda turística nacional, a Gol se prepara para retomar, em outubro, as operações do hub no Aeroporto de Fortaleza. Conforme a companhia informou ao Diário do Nordeste, serão ligações a 11 destinos nacionais, conectando a região Nordeste com demais bases no Norte, Centro Oeste e Sudeste do Brasil.

No próximo mês, a companhia vai operar 19 decolagens diárias em Fortaleza, retomando voos diretos ao aeroporto de Congonhas (São Paulo), Juazeiro do Norte e Natal. A empresa já vinha reativando, gradualmente, nos últimos meses, as operações no Aeroporto desde a paralisação provocada pela pandemia do novo coronavírus em março.

As conexões também servirão para alimentar os voos a Paris (França) pela parceira Air France, que serão retomados em 30 de outubro com três frequências semanais, e distribuir os passageiros a outras cidades no retorno. Entre as internacionais, apenas a TAP já retomou os voos entre a Capital e Lisboa (Portugal), ampliando-os na última semana de duas a três frequências semanais. Já a Air Europa adiou para dezembro o retorno do voo Fortaleza-Madrid, antes previsto para outubro.

Outras companhias também se preparam para reforçar as operações no mês que vem. A Azul, por exemplo, vai retomar voos da Capital para Juazeiro do Norte e Belém (PA), além de voltar a operar ligações de Jericoacoara a Belo Horizonte (MG) a partir de 22 de novembro. Em dezembro, a oferta para a capital mineira será ampliada para três frequências semanais e em janeiro, para quatro, segundo informou o secretário do Turismo do Estado, Arialdo Pinho. Já os voos de Guarulhos (SP) para Jericoacoara pela Azul deverão retornar em janeiro, diariamente.

O reforço das operações por parte das companhias está em consonância com a retomada gradual do turismo, apesar das novas nuances da atividade em meio à pandemia. Após intensa movimentação no último feriado de 7 de setembro, com destaque para Jericoacoara e Aracati, a ocupação em hotéis e pousadas nesses destinos para o próximo feriado de 12 de outubro já atingiu quase a totalidade, segundo confirmou Arialdo Pinho.

De acordo com a secretária de Turismo da Prefeitura de Aracati, Denise Pontes, o turismo doméstico está sendo essencial na retomada da atividade em Aracati e em todo o Estado. "A gente percebe que essencialmente quem está ocupando os hotéis do Ceará é o próprio povo do nosso Estado", pontua, refletindo que a atual oferta de voos estimula os cearenses a procurarem destinos no próprio Estado para o feriado.

"Nós estamos percebendo que o próprio cearense está ajudando o turismo do Estado a se recuperar. Os fins de semana, até o fim do ano, em Aracati, já estão com uma boa ocupação", destaca Denise, frisando o reforço dos protocolos pelos empreendimentos do local para receber os turistas de volta.

"O que a gente pede é que os cuidados também partam do próprio turista, que eles utilizem a máscara. Treinamos muito os empreendimentos para a chegada dos hóspedes, mas é essencial que as pessoas tenham consciência", detalha ainda a secretária de Turismo de Aracati.

Hotéis

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no Estado do Ceará (ABIH-CE), no período de 10 a 12 de outubro, os hotéis do litoral leste e oeste devem ter ocupação entre 70% e 80%. Já em Fortaleza, segundo o presidente da instituição, Régis Medeiros, a ocupação ficará entre 30% e 40%.

Ele explica que, tanto na capital cearense quanto nos demais municípios, a taxa de ocupação será maior que a do feriado de 7 de setembro. A procura maior pelos hotéis localizados na praia, afirma Régis Medeiros, ocorre porque os turistas que os procuram são do Ceará ou de estados vizinhos, e estes, geralmente, já conhecem a Capital.

"Fortaleza tem um público de eventos, principalmente os corporativos, que não estão podendo acontecer. A retomada econômica daqui está mais lenta que no litoral, mas isso tende a mudar com o aumento do número de voos. O turismo da cidade vem muito do Sul e do Sudeste do Brasil, então precisa de voos", diz.

De acordo com a Associação dos Meios de Hospedagem e Turismo (AMHT), o feriado de outubro deve ter uma ocupação semelhante à registrada no feriado de setembro nos litorais leste e oeste, enquanto Fortaleza deve apresentar um volume menor de visitantes no período.

Fim de ano

Para o fim do ano, destaca o presidente da ABIH-CE, a expectativa também é otimista, ainda que a temporada seja bem aquém do desempenho de 2019. A elevação na oferta de voos, pontua, é um dos fatores que devem contribuir para uma boa taxa de ocupação nos hotéis de Fortaleza e de outros municípios.

"A estimativa é de que, em dezembro, tenhamos 80% da malha aérea em operação. Não sabemos a taxa de ocupação ainda. Devemos esperar um pouco mais. Mas estamos otimistas, e ela será maior que a notada em 12 de outubro. Por causa da baixa demanda, os hotéis estão oferecendo descontos e pacotes especiais para atrair os turistas. É a lei da oferta e da procura", salienta Régis Medeiros.

Ele avalia que a indústria hoteleira só deve voltar ao patamar de antes de pandemia depois que chegar a vacina contra a Covid-19, o que o presidente da ABIH-CE espera para o primeiro semestre de 2021. Ainda conforme o titular da instituição, se a taxa de ocupação for realmente alta no fim do ano, como os representantes do setor esperam, há uma expectativa para abertura de vagas de emprego temporárias. "Daremos oportunidade especialmente para quem já trabalhava conosco e tivemos que demitir na pandemia. Podemos até recontratarmos efetivamente", ressalta.

A AMHT pontua que, no ano passado, a esta altura do ano, 50% a 70% dos pacotes já estavam vendidos. Este ano, porém, a procura segue muito baixa, com os hóspedes ainda inseguros a respeito da realização ou não de festas de réveillon, por exemplo, e com o cumprimento das medidas preventivas.

Movimentação

Em agosto, o número de embarques e desembarques de passageiros no Aeroporto Internacional de Fortaleza avançou 40,4% na comparação com julho deste ano, sendo o quarto mês seguido de crescimento do fluxo de passageiros. Ao todo, passaram 145,4 mil pessoas pelo terminal no período, enquanto no mês anterior foram 103,5 mil, segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

O número de voos operados na Capital também segue uma tendência de gradual crescimento, tendo registrado uma alta de quase 18% na passagem de julho para agosto. No mês passado, foram realizados 1.012 pousos e decolagens no terminal, frente a 858 no mês anterior.

Comparado a igual intervalo do ano passado, porém, o Aeroporto ainda anotou uma queda de 75,1% no fluxo de embarques e desembarques em agosto e de 74,3% no número de voos. No ano, o aeroporto acumula uma redução de 57,7% da quantidade de passageiros no terminal - até o fim de agosto do ano passado, já haviam passado 4,6 milhões de pessoas no aeroporto. Neste ano, foram 1,9 milhão no mesmo período.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios