Vendas da Black Friday em 2021 crescem 8,4% no CE, segundo melhor desempenho do país

Conforme o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA), o e-commerce experimentou expansão de 16,4%

Escrito por Redação,

Negócios
Legenda: Procura por cosméticos e itens de higiene pessoal foi maior neste ano
Foto: Fabiane de Paula

Apesar do perfil de compras ter mudado neste ano durante a Black Friday, o comércio apresentou crescimento no número de vendas com relação ao ano passado. No Ceará, o aumento foi de 8,4%, o segundo melhor desempenho do País, conforme o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA) divulgado nesta segunda-feira (29). 

O estado que apresentou melhor crescimento no acumulado de 25 a 28 novembro deste ano foi Santa Catarina, com 13,7%. De modo geral, as vendas em todo o Brasil cresceram 6,9% em relação a igual período do ano passado, porém, houve uma retração de 3,8% com relação a 2019. 

A Região Sul registrou a maior alta de vendas, com 8,4%. Já a Região Nordeste, teve o terceiro melhor desempenho, um aumento de 3,7%. 

A pesquisa aponta ainda que as vendas no e-commerce também tiveram alta de 16,4%, já as lojas físicas tiveram expansão de 4%. 

O Head de Inteligência da Cielo, Pedro Lippi, explica que o faturamento do varejo tem um ritmo de crescimento menor que o observador nos últimos meses. 

“A sexta-feira ainda é o principal dia de vendas, mas houve uma diluição no período analisado. O período consolidado apresentou crescimento de 6,9% versus 6,3%, quando observamos apenas o comportamento da sexta-feira”, afirma.

Turismo teve melhor desempenho

De acordo com o ICVA, os consumidores neste ano aproveitaram mais as ofertas dos setores de turismo e transporte, o crescimento foi de 46% em todo o país. No Ceará, inclusive, o setor também foi destaque com variação positiva de 32,2%.

O setor de cosméticos e higiene pessoal também experimentou alta, de 15,3%. Contudo, veterinárias e petshops (-1,4%) e materiais de construção (-8,8%) apresentaram retração. 

Veja como foi o desempenho dos setores

  • Turismo e transportes: 46%
  • Cosméticos e higiene pessoal: 15,3%
  • Demais setores: 11%
  • Drogarias e Farmácias: 7,2%
  • Supermercados e hipermercados: 5,6%
  • Móveis, eletro e departamento: 5,2%
  • Vestuário: 4,2%
  • Livrarias, papelarias e afins: 0,5%
  • Óticas e joalherias: -1,3%
  • Veterinárias e petshops: -1,4%
  • Materiais para construção: -8,8%