Tabela do frete tem reajuste médio de 5,80%

Efeitos dos reajustes nos fretes, porém, variam conforme o tipo de carga, número de eixos, distância do deslocamento e tipo de operação

Legenda: A tabela do frete foi criada pela equipe do ex-presidente Michel Temer durante a greve dos caminhoneiros de maio de 2018
Foto: José Leomar

A Agência Nacional de Transportes Terrestre (ANTT) publicou nesta quarta-feira (14) tabela com os novos preços mínimos de frete rodoviário, com reajuste médio de 5,80%. Os efeitos dos reajustes nos fretes, porém, variam conforme o tipo de carga, número de eixos, distância do deslocamento e tipo de operação.

A atualização dos valores está na edição do Diário Oficial da União (DOU) de hoje e entra em vigor a partir da próxima terça-feira, 20 de julho.

Pela legislação, a agência reguladora tem de reajustar os valores do frete a cada seis meses - em janeiro e julho de cada ano - ou sempre que a oscilação no preço do óleo diesel no mercado nacional for 10% superior ao preço considerado na planilha para os cálculos, tanto para mais quanto para menos.

Segundo a ANTT, o reajuste considera o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), inflação oficial do País, acumulado no período de dezembro de 2020 a maio de 2021, de 4,61%. Também leva em conta a atualização do valor do óleo diesel S10 para R$ 4,568 por litro - que corresponde aos valores apurados pela Agência Nacional do Petróleo e Gás Natural (ANP) no período de 13 a 18 de junho.

A tabela do frete foi criada pela equipe do ex-presidente Michel Temer durante a greve dos caminhoneiros de maio de 2018. Uma das reivindicações da categoria, a medida foi implementada pelo governo dentro do conjunto de ações para pôr fim à paralisação.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios

Assuntos Relacionados