Safra de grãos do Ceará em 2020 é a maior em quase uma década; avanço de 40,71%

Segundo o IBGE, foram produzidas 794,5 mil toneladas no Estado

fotografia
Legenda: O milho sequeiro foi o item de maior produção no Ceará, com 632,8 mil toneladas e 79,6% de participação no total da safra estadual.
Foto: Waleska Santiago

A safra de grãos no Ceará atingiu o volume de 794,5 mil toneladas em 2020, um aumento de 40,71% em relação ao obtido em 2019, segundo o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) divulgado esta quarta-feira (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Ao todo, a safra de 2020 foi a maior desde 2011, quando foram colhidas 1,3 milhão de toneladas. Nos últimos 25 anos, a produção também foi a sétima maior.

A produção também superou a previsão inicial para a safra do ano passado em 71,72%, quando eram esperadas apenas 462,6 mil toneladas.

Dos 17 produtos monitorados, 14 deles apresentaram crescimento na produção ante 2019, entre eles o arroz de sequeiro, a fava, o feijão de arranca 1ª safra, o feijão-de-corda 1ª e 2ª safra, o milho sequeiro, o milho irrigado e o milho semente sequeiro. 

Ainda tiveram alta na safra 2020 a soja de sequeiro 1ª safra, o sorgo granífero, o trigo em grão irrigado, o algodão herbáceo, o algodão semente sequeiro e o amendoim.

Em termos de participação, três grãos são responsáveis por 96% do que foi colhido no Estado. Os destaques são o milho sequeiro, com 632,8 mil toneladas e 79,6% de participação, o feijão de corda 1ª safra (115,8 mil t e  14,58%) e o arroz irrigado (120 mil t e 1,51%).

Conforme o relatório, o crescimento da área plantada e do rendimento das culturas em geral foram os principais motivos para o avanço da produção de grãos no Estado, assim como a melhor distribuição das chuvas ao longo do ano.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios


Egídio Serpa 22 de Janeiro de 2021