Quem não recebeu parcelas do auxílio emergencial ainda pode recorrer? Confira perguntas e respostas

Tire dúvidas sobre a fase final do pagamento dos benefícios emergenciais do Governo Federal

Fotografia de um homem manuseando o celular com o aplicativo Caixa Tem aberto
Legenda: As contestações devem ser feitas pelo site ou pelo aplicativo Caixa - Auxílio Emergencial.
Foto: Agência Brasil

O fim de 2020, momento esperado por tantos brasileiros, traz consigo o encerramento também dos benefícios criados pelo Governo Federal para lidar com a pandemia de Covid-19 no País. Entre eles estão: auxílio emergencial, saque emergencial do FGTS e BEM (benefício emergencial).

Apesar da proximidade do encerramento destes prazos, ainda é possível receber os benefícios em 2020, mas é necessário atenção aos prazos.

O Diário do Nordeste elencou uma lista de perguntas e respostas para auxiliar no esclarecimento das dúvidas. Confira:

  • Ainda posso recorrer para receber o auxílio emergencial de R$ 600? 

Caso o beneficiário tenha requerido o auxílio emergencial e não tenha recebido as 5 parcelas de R$ 600 por incompatibilidade nas informações, ele tem até o dia 16 de novembro para recorrer no site ou no aplicativo Caixa - Auxilio Emergencial.

  • Tive a extensão do auxílio emergencial (R$300) negada. Ainda posso recorrer? 

Não. O prazo limite para a contestação se encerrou na segunda-feira (9).

  • Recebi uma parcela da extensão (R$ 300), mas o restante do pagamento está suspenso. Posso recorrer? 

Sim. É necessário contestar a conclusão através do site ou aplicativo Caixa- Auxilio Emergencial até quarta-feira (11).

  • Como saber se tenho direito ao FGTS emergencial? 

Os trabalhadores com contas ativas ou inativas do FGTS podem acessar o aplicativo Caixa- FGTS e conferir se possuem valores disponíveis. Lembrando que o limite é R$ 1.045. Então, caso o beneficiário tenha R$ 500, poderá sacar todo o valor, caso tenha R$ 5.000, poderá sacar apenas R$ 1.045. 

  • Até quando posso sacar o FGTS? 

Os valores do FGTS emergencial estarão disponíveis para saque e movimentações até o dia 31 de dezembro de 2020. Após esta data, o dinheiro será devolvido e só poderá ser sacado sob condições legais.

  • Ainda estou com contrato de trabalho suspenso. O pagamento do benefício será interrompido? 

Não. Quem está em regime de redução de jornada ou suspensão de contrato vai continuar recebendo automaticamente os valores do Governo.

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios