Prévia da inflação de Fortaleza é a maior entre as capitais no ano

No país, IPCA-15 registra maior alta para novembro desde 2015

supermercado
Legenda: Apesar do índice de novembro ter sido inferior ao de outubro, no ano o IPCA-15 na capital cearense atingiu o maior patamar do país, com 5,44%
Foto: Divulgação

Pressionado mais uma vez pelo preço dos alimentos, Índice de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) - considerado uma prévia da inflação oficial do país - teve variação 0,66% em Fortaleza no mês de novembro, índice menor do que o registrado no mês de outubro, de 1,35%, diferença de 0,69 pontos percentuais (p.p).

Apesar do índice de novembro ter sido inferior ao de outubro, no ano o IPCA-15 na capital cearense atingiu o maior patamar do país, com 5,44%.   

Índice Nacional
Em nível nacional, o índice teve a maior variação para um mês de novembro desde 2015, de 0,81%. A taxa é 0,13 ponto percentual menor do que o registrado em outubro, quando o índice registrou alta de 0,94%.

De janeiro a novembro, o acumulado é de alta de 3,13%, enquanto nos últimos 12 meses é de 4,22%, acima da meta central de inflação perseguida pelo governo para 2020, que é de 4% . Em novembro de 2019, a taxa subiu 0,14%.

> Bolsonaro se defende de alta de preços e diz que pandemia desajustou o mercado
> Mercado aumenta previsão de inflação e prevê queda menor do PIB
Câmbio, safra e fim de auxílio devem frear acelerada da inflação

O grupo alimentação e bebidas subiu 2,16% e foi responsável por influenciar 0,44 ponto percentual do índice geral do mês. No ano, o setor acumula alta de 12,12%.

Os preços dos alimentos para consumo no domicílio foram destaque no mês, subindo 2,69%. A maior influência foram itens importantes no consumo das famílias, como carnes (4,89%), arroz (8,29%), batata-inglesa (33,37%), tomate (19,89%) e óleo de soja (14,85%).A alimentação fora do domicílio acelerou 0,87%, puxada pelo item lanche (1,92%), enquanto refeição subiu 0,49%.]

Todos os demais grupos também tiveram alta: transportes (1%), artigos de residência (1,40%), habitação (0,34%) e vestuário (0,96%), além de saúde e cuidados pessoais (0,04%), despesas pessoais (0,14%), comunicação (0,06%) e educação (0,01%).

IPCA-15
Para o cálculo do IPCA-15, O IBGE coletou os preços no período de 14 de outubro a 12 de novembro de 2020 e comparou com aqueles vigentes de 12 de setembro a 13 de outubro de 2020.

O indicador refere-se às famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e do município de Goiânia. A metodologia utilizada é a mesma do IPCA, a diferença está no período de coleta dos preços e na abrangência geográfica.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios

Assuntos Relacionados


Egídio Serpa 22 de Janeiro de 2021