Motoristas de aplicativo voltam à ativa após reajuste na remuneração

Empresas líderes de mercado no segmento realizaram mudanças no repasse de ganhos dos parceiros, que deve elevar o retorno financeiro em até 18%

Legenda: De acordo com Keylon, cerca de 3 mil motoristas ficam online diariamente em Fortaleza, número que deve passar para cerca de 4,5 mil.
Foto: JL Rosa

Após uma saída massiva de motoristas das plataformas e a ameaça de empresas locais, as gigantes do transporte por aplicativo no Brasil modificaram as políticas de remuneração aos parceiros na última semana. A estratégia tem gerado resultado no Ceará. Metade dos motoristas que havia saído da categoria já voltou à ativa.

A informação foi revelada pelo presidente da Associação dos Motoristas de Aplicativos do Ceará (Amap), Rafael Keylon. Segundo ele, 60% dos motoristas do Estado tinham desistido da atividade desde o início da pandemia, especialmente após diversos aumentos no preço dos combustíveis. Dessa forma, 30% do efetivo total já retornou às ruas.

"Houve um reajuste entre 10% e 18% no valor da corrida pago aos motoristas, junto com a alta da demanda provocada pela retomada econômica e o avanço da vacinação, que deu segurança aos motoristas de que não haverá um terceiro fechamento do mercado", afirma.

Ele pontua que o desemprego gerado durante a segunda onda de contaminação da covid-19 também é outro responsável pela retomada do número de motoristas, especialmente aqueles que trabalham com carro alugado.

De acordo com Keylon, cerca de 3 mil motoristas ficam online diariamente em Fortaleza, número que deve passar para cerca de 4,5 mil. Com mais parceiros disponíveis, a perspectiva é que o tempo de espera dos passageiros diminua nas próximas semanas.

Carros alugados

Keylon também ressalta que as locadoras de veículos parceiras da Amap estão com seus efetivos 100% locados e já estão pedindo reforço a outras locadoras para suprir a demanda crescente.

"Com as grandes multinacionais não ouvindo os motoristas e taxando da forma que estavam, empresas cearenses começaram a ganhar espaço no mercado a ponto de terem conquistado espaço de 10% do mercado de Fortaleza em termos de corrida. E isso acendeu o sinal de alerta nos grandes aplicativos, que de pronto decidiram juntos fazer esse reajuste, tanto a Uber quanto a 99"
Rafael Keylon
Presidente da Amap

Conforme o presidente da Amap, a remuneração dos motoristas subiu de R$ 0,90 para R$ 1,01 por quilômetro rodado e de R$ 0,20 para R$ 0,25 por minuto.

Ele ainda argumenta que, em 2019, houve um reajuste negativo que reduziu o ganho dos motoristas, redução que está sendo desfeita agora. "Com o reajuste de 10%, a gente tá voltando a ganhar o que a gente ganhava em 2019", acrescenta.

Procuradas, a Uber e a 99 ainda não se manifestaram sobre as mudanças.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios