Etapa por etapa: documento indica como será retomada da economia no Ceará

Abrasel divulga cronograma de quais setores devem voltar nas quatro fases de reabertura dos negócios não essenciais no Estado

Escrito por Redação,

Negócios
Legenda: Retomada gradual das atividades irá iniciar nesta segunda-feira (1º)
Foto: Kid Júnior

O plano de retomada das atividades econômicas no Ceará deverá ter mais uma fase de transição. Conforme documento da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), proposta apresentada pelo Governo do Estado ao setor produtivo nesta quarta-feira (27) prevê a operação parcial de grupos de setores em casa etapa.

A ser iniciada nesta segunda-feira (1º), a primeira fase permitirá o retorno parcial da indústria, construção civil e comércio, como a indústria química, artigos de couro e calçados, cadeia metalmecânica, cadeia de energia elétrica, cadeia têxtil e de roupas, logística e transporte, além de esporte, cultura e lazer. No último dia 20 de maio, o Sistema Verdes Mares revelou, com exclusividade, detalhes de como está sendo planejada a primeira fase da retomada.

No dia 8 de junho, os setores liberados no primeiro momento teriam percentual a mais de operação autorizados, além de juntar-se a eles o comércio e serviços de higiene e limpeza.

Em 22 de junho, as cadeias de menor risco começam a retornar, incluindo indústrias e serviços de apoio, tecnologia da informação, assistência social, comércio de produtos não essenciais, alimentação fora do lar, entre outros.

Ainda segundo documento disponibilizado pela Abrasel, no dia 6 de julho as cadeias já liberadas poderiam operar com 100% de sua capacidade e passariam a poder funcionar restaurantes em horário noturno e barracas de praia, além de outras 12 cadeias não especificadas.

Por fim, mais dez atividades seriam liberadas a retornar no dia 20 de julho e o segmento de alimentação fora de casa estaria autorizado a funcionar com 100%.

Confira mais detalhes do planejamento:

01/06
FASE DE TRANSIÇÃO – INDÚSTRIA E CONSTRUÇÃO CIVIL
Indústria química e correlatos; artigos de couro e calçados, cadeia metalmecânica e afins, saneamento e reciclagem, cadeia energia elétrica, cadeia da construção civil, têxteis e roupas; Comunicação, Publicidade e Editoração; indústria e serviços de apoio; artigos do lar; cadeia agropecuária; cadeia moveleira; tecnologia da informação; logística da informação; logística e transporte; cadeia automotiva; cadeia da saúde; Esporte, Cultura e Lazer.

FASE 01 – INDÚSTRIA, SERVIÇOS E COMÉRCIO (setores liberados para operar parcialmente)
Mesmos setores da fase de transição com mais liberações + Comércio de outros produtos; comércio e serviços de higiene e limpeza.

FASE 02 – 13 CADEIAS
CADEIAS DE MENOR RISCO, SEM LIMITAÇÕES. COMÉRCIO EM SHOPPINGS E SERVIÇOS.
Cadeias já liberadas nas fases anteriores, agora com funcionamento pleno. De forma parcial: Comunicação, Publicidade e Editoração; indústrias e
serviços de apoio; tecnologia da informação; assistência social; comércio de produtos não essenciais; alimentação fora do lar; atividades religiosas; Esporte, cultura e lazer.

FASE 03 - 12 CADEIAS
COMPLETA CADEIAS ANTERIORES DE ATIVIDADES SEM AGLOMERAÇÃO E DE ALTA VULNERABILIDADE
Na alimentação fora do lar, inclusão de restaurantes em horário noturno e barracas de praia

FASE 04 - 10 CADEIAS
Atividades de grande aglomeração + completa cadeias de atividades de baixa vulnerabilidade Completa a cadeia de alimentação fora do lar.