Desemprego no Brasil encerra 2020 em 13,9%, diz IBGE

A renda média real do trabalhador foi de R$ 2.507,00 no trimestre encerrado em dezembro passado

Carteira de Trabalho
Legenda: No ano de 2020, a taxa de desemprego média foi de 13,5%.
Foto: Agência Brasil

A taxa de desocupação no Brasil ficou em 13,9% no trimestre encerrado em dezembro de 2020, de acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados na manhã desta sexta-feira, 26, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em igual período de 2019, a taxa de desemprego medida pela Pnad Contínua estava em 11,0%. No trimestre até novembro de 2020, a taxa de desocupação estava em 14,10%. No ano de 2020, a taxa de desemprego média foi de 13,5%.

Impacto do auxílio emergencial

O trimestre encerrado em dezembro foi o último em que houve liberação do auxílio emergencial de R$ 300 (em janeiro, houve liberação de saque de parcelas residuais).

Em novembro, a taxa seguiu estável no trimestre encerrado em novembro, em 14,1%, mantendo o patamar recorde de 14 milhões de pessoas.

Desde que o valor do benefício foi reduzido de R$ 600 para R$ 300, a taxa de desemprego passou a sofrer maior pressão, com um número maior de pessoas em busca de uma vaga.

Retorno do benefício

O governo busca uma solução para o retorno do benefício. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta quinta-feira, 25, que pretende pagar R$ 250 em uma nova rodada de auxílio prevista para ser iniciada em março.

A liberação, contudo, depende da aprovação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) Emergencial, que estava prevista para ser votada no Senado nesta quinta, 25, mas foi adiada para a próxima semana por divergências quanto ao fim do piso de gastos em saúde e educação - mudança que consta na PEC.

O ano de 2020 foi marcado pela chegada da pandemia de Covid-19 no Brasil, que a partir do mês de março exigiu medidas de isolamento social, adotadas para evitar a disseminação da doença. As iniciativas impuseram o fechamento de comércio e serviços, setores que mais empregam na economia brasileira.

Renda média do trabalhador

A renda média real do trabalhador foi de R$ 2.507,00 no trimestre encerrado em dezembro passado. O resultado representa alta de 2,8% em relação ao mesmo período do ano anterior. A massa de renda real habitual paga aos ocupados somou R$ 210,724 bilhões no trimestre até dezembro, queda de 6,5% ante igual período do ano anterior, de acordo com o IBGE.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios