Caixa lança linha de financiamento imobiliário corrigida pela poupança

O orçamento inicial disponibilizado para essa modalidade é de R$ 30 bilhões

Legenda: A nova linha de crédito imobiliário passa a valer a partir de março
Foto: Kid Junior

A Caixa Econômica Federal (CEF) lançou mais uma linha de crédito imobiliário, desta vez, com correção pela taxa da poupança. O anúncio foi feito na tarde desta quinta-feira (25) pelo presidente da CEF, Pedro Guimarães, que também apresentou um balanço do crédito imobiliário do banco em 2020. No ano passado, a carteira de habitação da Caixa atingiu 509,8 bilhões, com crescimento de 28,8%.  

“O ano de 2020 foi histórico. É de muito longe a maior carteira imobiliária no Brasil. Corresponde a quase 70% do mercado, com 5,6 milhões de famílias. O crescimento imobiliário é o coração da Caixa Econômica Federal”, frisou Guimarães.

Para 2021, o presidente estima um crescimento na carteira imobiliária de, pelo menos, 15%. 

“Temos uma expectativa muito grande de adesão a essa nova linha. Imaginamos que a taxa de crescimento da carteira possa atingir algo em torno de 15% e será muito significativo", disse.

Linha disponível a partir de março

A nova linha de crédito imobiliário passa a valer a partir de março, com a taxa de juros variando conforme o rendimento da poupança.

“Estamos lançando um produto muito relevante em termos imobiliários. É o quarto produto que lançamos nesses últimos dois anos. Seremos o terceiro banco com esse produto, e com as menores taxas”, destacou o presidente da Caixa. 

Entre 2018 e 2020, a Caixa teve um crescimento de 298% na contratação com recursos da poupança, passando de R$ 13,5 bilhões, em 2018, para 53,7 bilhões no ano passado.

“Como a taxa de juros Selic, aquela que o Banco Central do Brasil determina, está abaixo de 8,5%, enquanto ela for abaixo ou igual, nós temos a remuneração da poupança, que é liquida de imposta, ou seja, não se paga imposto de renda, é 70% da Selic”, detalha Pedro Guimarães. 

De acordo com o presidente, a partir de 8,5%, ela fica fixa em 6,17%, tendo como componente variável a taxa referencial de juros (TR). 

O orçamento inicial disponibilizado para essa modalidade é de R$ 30 bilhões. 

Como fica o cálculo

TR + remuneração adicional da poupança + taxa conforme perfil do cliente (3,35% a 3,99 ao ano). 

A Caixa Econômica possui 145,4 milhões de clientes com crédito na poupança, somando um saldo de poupanças de quase R$ 400 bilhões.

"Ano passado, crescemos mais de 100% nesse crédito imobiliário com recursos da poupança. Um crescimento quase 3 vezes superior ao resto do mercado, e atingimos 43,3% de market. Antes dessa gestão, a Caixa estava em 4º lugar no segmento imobiliário de recursos da poupança. Recuperamos a liderança e atingimos mais de 50% de market share, ou seja, do mercado, em maio e junho do ano passado. Nosso objetivo é fazer uma participação acima de 40%. Como mostramos, na parte da Casa Verde Amarela, da população de menor renda, vai ser pelo menos 96%. A combinação entre os dois dá ao redor de 70% de market", avaliou o presidente do banco.

Casa Verde Amarela

Em 2020, a Caixa financiou R$ 62,3 bilhões no programa Casa Verde Amarela, e 96,6% dos empréstimos relacionados ao programa destinado a famílias com renda mais baixa foram concedidos pela Caixa.

Houve uma alta na inadimplência durante os meses de abril, maio e junho do ano passado. Com isso, o banco realizou mais de 2,5 milhões de pausas de contratos. Segundo o presidente Pedro Guimarães, os dados deste mês de fevereiro mostram que 99,6% das famílias encerraram a pausa. 

"Ofertamos as pausas e, inclusive, ofertamos a volta do pagamento com 50% das parcelas, ou seja, com valores menores do que as parcelas normais. Isso também ajudou as famílias que ainda estavam com dificuldades", comentou.

Além disso, em 2020, foram quase 800 mil unidades contratadas pelo banco, gerando 1,9 milhão de empregos diretos e indiretos.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios