Bolsonaro autoriza reajuste de 10,89% no preço de medicamentos

Remédios ficarão mais caros a partir desta quinta-feira (31)

Escrito por Redação, negocios@svm.com.br

Negócios
remédios mais caros
Legenda: Sindicato diz que aumentos podem demorar ou nem acontecer
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro autorizou um reajuste de 10,89% no preço dos medicamentos a partir de sexta-feira (1º). A informação foi confirmada na noite dessa terça-feira (29) pelo Sindicato dos Produtos da Indústria Farmacêutica (Sindusfarma).

Conforme a entidade, o aumento deve atingir ao menos 13 mil tipos de remédios disponíveis no mercado varejista brasileiro. 

"Mas o reajuste não é automático nem imediato, pois a grande concorrência entre as empresas do setor regula os preços: medicamentos com o mesmo princípio ativo e para a mesma classe terapêutica (doença) são oferecidos no país por vários fabricantes e em milhares de pontos de venda", informa o sindicato em nota.

O cálculo para o reajuste dos fármacos considera a inflação medida pelo IPCA, (10,54%) incluindo a produtividade do setor (zero), o fato de ajuste de preços relativos entre setores (0,35%), fator de ajuste de preços relativos intrassetor Z (zero).

No entanto, o presidente executivo do Sindusfarma, Nelson Mussolini, pondera que "dependendo da reposição de estoques e das estratégias comerciais dos estabelecimentos, aumentos de preços podem demorar meses ou nem acontecer".