Após restaurantes e eventos, trabalhadores do setor de turismo pedem auxílio ao Estado

Governo aguarda levantamento da Abav para analisar concessão de benefício a cerca de dois mil profissionais do trade turístico. Setor também pede isenção de ICMS de contas de energia e de IPVA

Cerca de dois mil trabalhadores do turismo (agências de viagens e setor hoteleiro, entre outros entes do trade) que perderam o sustento em decorrência da pandemia podem ser os próximos beneficiados com um auxílio financeiro do Governo do Estado.  Esse foi um dos pleitos da Agência Brasileira das Agências de Viagens (Abav) no Ceará ao Estado para tentar minimizar os efeitos da crise provocada pelo coronavírus.

A Abav se reuniu ontem (15) com representantes do Executivo estadual para tratar das dificuldades enfrentadas pelo setor e, de acordo com o presidente da entidade, Murilo Santa Cruz, o Governo se mostrou sensível à lista de pedidos, que inclui isenção do Imposto Sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da conta de energia e isenção de débitos referentes à conta de água.

As demandas têm como base medidas de apoio já concedidas pelo Governo estadual aos setores de alimentação fora do lar e de cultura e eventos. Um levantamento do número exato de trabalhadores está sendo feito junto ao sindicato responsável para que seja informado ao comitê.

A expectativa da Abav é que em até 15 dias o Governo do Ceará tenha uma resposta sobre o pleito. "A gente pediu até uma certa urgência, porque a situação já está assim há muito tempo", destaca o presidente da entidade. "Dependendo dos trâmites, nós gostaríamos que em 15 dias já fosse possível ter uma data certa para o pagamento dos benefícios", diz.

"Ainda não há nada definido. O que houve foi um pleito. O governo está sensível a toda essa problemática e ficou de estudar e avaliar essas medidas de auxílio ao setor. Nós esperamos ser atendidos, assim como a indústria de eventos e o setor de bares e restaurantes", pontua Santa Cruz.

O secretário Executivo de Planejamento e Gestão, Flávio Ataliba, corroborou que em até 15 dias o setor deve ter uma resposta. "Tivemos reunião ontem no fim de tarde e a Abav ficou de enviar um documento oficial com todas as demandas. Uma comissão já está formada para a avaliação do documento e nos próximos 15 dias nós devemos dar uma resposta mais objetiva ao pleito", afirma.

Confira os principais pontos do pleito:

  • Isenção do ICMS da conta de energia;
  • Isenção dos débitos referentes à conta de água;
  • Isenção do IPVA 2021 e 2022 dos veículos de empresas do setor;
  • Auxílio para os trabalhadores do setor que foram dispensados e que não têm acesso a qualquer outro benefício, como o seguro desemprego.

Valor

O valor solicitado para auxílio aos trabalhadores que perderam o emprego não foi divulgado pela Abav e será analisado pelo Governo do Estado. De acordo com a entidade que congrega as agências de viagens, houve, desde a pandemia, um corte de aproximadamente 40% da mão de obra do setor instalada no Ceará em 2019.

"São pessoas que perderam a sua renda e hoje não estão sendo alcançados por nenhum benefício, como o seguro-desemprego, porque alguns não tinham período aquisitivo para ter direito ao seguro", lembra.

Retomada

Ele reforçou que os agentes de turismo serão peças fundamentais na retomada do setor e reaquecimento da economia quando a pandemia abrandar no Estado. "São as agências que fazem a prospecção do Ceará, que é um estado vocacionado para o turismo. Quando tivermos uma retomada, a figura do agente de viagem vai ser muito importante", ressalta Murilo Santa Cruz.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios