Abrasel critica decisão do Estado de não liberar operação de bares e restaurantes noturnos

De acordo com uma nota publicada pela assossiação, a medida foi recebida com repúdio pelo setor de alimentação fora do lar

Legenda: "Apesar de a Abrasel integrar o comitê estratégico para a retomada, fomos surpreendidos com esta decisão monocrática. Todo o esforço e investimento feito pelos empresários do setor, para adequar seus espaços às medidas de segurança necessárias, foi em vão", disse a Abrasel em nota.
Foto: JL Rosa

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no Ceará (Abrasel) lamentou a decisão do Governo do Estado de não liberar a volta às operações de bares e restaurantes noturnos durante a terceira fase do plano de retoma em Fortaleza. Segundo a instituição, a medida foi recebida com "repúdio" pelo setor de alimentação fora do lar. 

Segundo a Associação, a decisão frustra os empresários que vinham se dedicando nas últimas semanas para se adaptar aos novos protocolos de segurança e saúde para atuação durante a pandemia do novo coronavírus

"Apesar de a Abrasel integrar o comitê estratégico para a retomada, fomos surpreendidos com esta decisão monocrática. Todo o esforço e investimento feito pelos empresários do setor, para adequar seus espaços às medidas de segurança necessárias, foi em vão. Agora, amargaremos mais demissões e fechamento de estabelecimentos", disse em nota. 

A Abrasel ainda fez críticas ao trabalho de fiscalização do Governo do Estado, afirmando que algumas áreas da cidade na periferia registravam aglomerações "frequentes".  A reclamação parte do princípio que o setor de alimentação fora do lar tem seguido todos os protocolos e seguido as normas. 

"Próxima segunda-feira (6), sem MP 936 (redução de jornada e salários), os colaboradores voltam com estabilidade de emprego de dois meses e as portas dos estabelecimentos estarão fechadas. O Governo do Estado vai pagar essa conta?", completa a nota assinada por Rodolphe Trindade, presidente da Abrasel.