Jô Soares morre aos 84 anos em São Paulo

Ex-apresentador da Globo estava internado no Hospital Sírio-Libanês

Escrito por Redação,

Zoeira
apresentador jô soares morre em são paulo
Legenda: Comunicador esteve na Globo entre 2000 e 2016
Foto: Divulgação

O escritor e humorista Jô Soares morreu aos 84 anos na madrugada desta sexta-feira (5) no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde estava internado desde o último dia 28 de julho para tratar uma pneumonia. A causa do óbito não foi revelada.

A assessoria de imprensa do ex-apresentador da TV Globo informou que o velório e sepultamento dele serão reservados à família e amigos. 

Segundo a designer gráfica e ex-companheira de Jô, Flávia Pedras, ele faleceu "cercado de amor e cuidados". Em publicação nas redes sociais, ela pediu que os admiradores do legado do comunicador fizessem um "brinde à vida". 

"Aqueles que através dos seus mais de 60 anos de carreira tenham se divertido com seus personagens, repetido seus bordões, sorrido com a inteligência afiada desse vocacionado comediante, celebrem", disse. 

Famosos lamentam morte de Jô Soares

Via Instagram e Twitter, celebridades da TV, do teatro e do humor se despediram de Jô Soares. Ana Maria Braga, apresentadora do "Mais Você" e ex-colega de emissora, considerou que o "dia amanheceu mais sem graça" por causa da partida do apresentador. "Tive a honra de conhecer e conviver com esse jornalista e humorista tão talentoso e querido de todos nós". 

Ana Maria Braga lamenta morte de Jô Soares
Foto: Reprodução/Instagram

O cantor Thiaguinho postou uma foto do momento em que foi entrevistado por Jô, por quem ele disse ter "respeito e admiração". Descanse em paz, Jô Soares. Foi uma honra te conhecer, ser entrevistado, bater papo e sentir de perto toda essa genialidade e educação.

Thiaguinho lamenta a morte de Jô Soares
Foto: Reprodução/Instagram

A jornalista Patrícia Poeta, do programa "Encontro", da TV Globo, afirmou que o talento de Jô "atravessou gerações" e destacou o talento dele como humorista, escritor, diretor, apresentador. "Ele fazia parte das nossas vidas". 

patrícia poeta lamenta morte de jô soares
Foto: Reprodução/Instagram

Lilia Cabral descreveu Jô como um comunicador "inteligente, divertido, inesperado e criativo". "Obrigada querido por ser tão parceiro e querido em todas as entrevistas, obrigada pelo respeito e por me ensinar tanto".

Lilia Cabral lamenta morte de Jô Soares
Foto: Reprodução/Instagram

Adriane Galisteu, apresentadora da TV Record e vizinha de Jô Soares, se mostrou grata pelas "risadas, tantas conversas e por todos os ensinamentos". 

Adriane Galisteu lamenta morte de Jô Soares
Foto: Reprodução/Instagram

A cantora Zélia Duncan escreveu que Jô era "um artista único, um comediante que amava seu ofício acima de tudo, um ator fora de série e um entrevistador brilhante". 

Já a atriz Bárbara Paz, garantiu que Jô "vai fazer muita falta". "Obrigada por tudo, Jô. Teus ensinamentos e tua risada ficam! Um homem inteligentíssimo, engraçado, humano".

 

Quem é Jô Soares

Filho do paraibano Orlando Heitor Soares e de Mercedes Leal Soares, José Eugênio Soares nasceu em 16 de janeiro de 1938 no Rio de Janeiro, onde ganhou fama como apresentador de televisão, humorista, escritor, ator e diretor. 

A estreia dele na TV ocorreu em 1958, quando participou do "Noite de gala". No mesmo ano passou a escrever para o "TV Mistério", que tinha no elenco Tônia Carreiro e Paulo Autran. Os programas eram exibidos na TV Rio, onde ele também esteve no "Noites Cariocas". 

Jô Soares na TV Globo
Legenda: Em 2000, o "Programa do Jô", na TV Globo, estreou e seguiu na grade da emissora até 2016
Foto: TV Globo / Zé Paulo Cardeal

Como apresentador, iniciou carreira no "Jô Soares Onze e Meia", do Sistema Brasileiro de Televisão (SBT). O programa ficou no ar entre 1988 e 1999. A produção mais famosa dele, porém, chegou no ano seguinte. Em 2000, o "Programa do Jô", na TV Globo, estreou e seguiu na grade da emissora até 2016. 

Considerado um pioneiro no stand-up, Jô fez história no humor televisionado em “A família Trapo” (1966), “Faça humor, não faça a guerra" (1970),  "Satiricom" (1973), “Planeta dos homens” (1977) e “Viva o Gordo” (1981).

O trabalho solo de Jô no teatro reuniu textos e performances com tom crítico e cômico sempre em referência ao cotidiano do Brasil. Os seus monólogos mais conhecidos foram “Ame um gordo antes que acabe” (1976), “Viva o gordo e abaixo o regime!” (1978), “Um gordoidão no país da inflação” (1983), “O gordo ao vivo” (1988), “Um gordo em concerto” (1994) – que ficou em cartaz por dois anos – e “Na mira do gordo” (2007).

Jô também dedicou-se à publicação de cinco livros, incluindo romances e até uma autobiografia. Entre as produções estão "O homem que matou Getúlio Vargas (1998), "Assassinatos na Academia Brasileira de Letras" (2005) e o "Xangô de Baker Street) (2011). 

Veja fotos de entrevistas do 'Programa do Jô'

Programa do Jô Soares na TV Globo
Legenda: Programa do Jô Soares na TV Globo
Foto: TV Globo / Zé Paulo Cardeal

Programa do Jô Soares na TV Globo
Legenda: Fernanda Montenegro
Foto: TV Globo / Zé Paulo Cardeal

Programa do Jô Soares na TV Globo
Legenda: Programa do Jô Soares na TV Globo
Foto: TV Globo / Zé Paulo Cardeal

TV Globo / Zé Paulo Cardeal
Legenda: Wanessa e Jô Soares
Foto: Globo/Ramón Vasconcelos

Programa do  Jô Soares na TV Globo
Legenda: Programa do Jô Soares na TV Globo
Foto: TV Globo / Zé Paulo Cardeal

Programa do  Jô Soares na TV Globo
Legenda: Programa do Jô na TV Globo
Foto: TV Globo / Zé Paulo Cardeal

Programa do  Jô Soares na TV Globo
Legenda: Rei Pelé
Foto: TV Globo / Zé Paulo Cardeal

Programa do  Jô Soares na TV Globo
Legenda: Zezé di Camargo e Luciano
Foto: TV Globo / Zé Paulo Cardeal

Programa do  Jô Soares na TV Globo
Legenda: Entrevista com o rei Roberto Carlos
Foto: TV Globo / Zé Paulo Cardeal