Kidcore: conheça a tendência de moda fofa e colorida que atrai famosas como Jade Picon

Misturando cores e design divertido, estética pode ser usada nas roupas, acessórios ou unhas

Escrito por Lívia Carvalho, livia.carvalho@svm.com.br

Verso
Legenda: Smiles, estampas divertidas e cores compõem a tendência kidcore
Foto: Divulgação/Tropical Mess

Que a nostalgia dominou as últimas tendências não é novidade. No hype do TikTok, uma mistura de cores vibrantes, design divertido e um toque lúdico é destaque. Conhecida por kidcore, a estética tem sido usada por famosos como Olivia Rodrigo, Jade Picon, Harry Styles e integrantes do grupo de K-Pop, BlackPink. 

O kidcore envolve tudo o que é lúdico e resgata a moda dos anos 1990 e 2000 com figuras de arco-íris, smile e, personagens de desenho animado. É possível brincar com essa estética por meio de peças de roupa, acessórios, unhas e até maquiagem. Quem não lembra de Jade Picon usando delineados de coração no BBB 22?  

O bucket hat lilás com flores foi outra referência usada pela influencer que caiu no gosto público e traz essa estética infantil e divertida.  

Legenda: Bucket hat usado por Jade Picon no BBB 22 virou tendência
Foto: Reprodução/Instagram

A consultora de imagem e estilo, Mônica Albuquerque, explica que a tendência surgiu por muito por reflexo da pandemia, que provocou uma mudança no comportamento, nos gostos e nos processos criativos das pessoas. Impulsionada pela geração Z, ganhou força e invadiu até os armários de adultos.  

“A gente vê que os últimos dois anos foram um divisor de águas nas nossas vidas e essa situação que passou no mundo inteiro abriu um leque de novos olhares e, consequentemente, essa mudança de comportamento, não só da forma de a gente se vestir, mas se comunicar. Passamos por tristeza, dores, momentos de perdas, então há uma busca de trazer algo que possa resgatar essa alegria”.  

Nostalgia em alta 

Mônica destaca ainda que outro fator que tem impulsionado é a nostalgia de jovens da geração Z querer resgatar momentos da infância. “É como se a gente buscasse uma válvula de escape, fugindo um pouco da realidade. Quando a gente traz à tona essas memórias da infância, é um certo consolo”, explica.  

Legenda: Cantora norte-americana Olivia Rodrigo também usa referências de kidcore
Foto: Reprodução/Instagram

A criatividade dessa geração também é outro apelo e vista especialmente nas redes sociais. De acordo com Mônica, o kidcore já vinha dando esse sinal de existência há algum tempo, com algumas apostas que surgiram de forma tímida, como as miçangas, presilhas coloridas, símbolos divertidos como os smiles.  

“É uma onda muito forte, tonalidades candy colors que lembram os doces açucarados e desenhos divertidos. Muito ligada ao dopamine dressing, quase que uma overdores de cores vibrantes e fortes aplicada na moda com a função de aumentar nossa felicidade e interferir no humor”.  
Mônica Albuquerque
consultora de estilo

Verão pop  

A designer Beatriz Gondim, 34 anos, vê na tendência uma forma de expressão do mood verão pop que ela tanto gosta. Com isso, surgiu a Tropical Mess, marca de acessórios que resgata o lúdico, mas pensando numa estética da estação mais quente do ano. No início, a marca focava em roupas, mas a pandemia acabou traçando outro caminho para a empreendedora.  

“Eu quis trazer o lado mais pop do verão, mais divertida, com essa pegada. Fazia muita coisa com arco íris, muita cor, bem pop, nos acessórios, tento trazer o que eu não via na cidade. Sempre gostei de brincar com a moda e de trazer minhas leituras para as tendências que vão surgindo”, diz. 

Legenda: Produção da Tropical Mess é baseada na tendência kidcore
Foto: Divulgação/Tropical Mess
 

Em um processo criativo fluido, as peças vão surgindo conforme a mistura de cores e texturas acontece. Colares com frases divertidas, maxibrincos de flores, anéis de smiles, bucket hats compõem o acervo da marca.  

“Gosto muito de comprar material, olhar tudo e ir misturando a partir do que eu tenho, e eu acho que é isso que deixa os meus acessórios com minha assinatura, faz com faz as pessoas saibam que sou eu que tô fazendo. Bebo de muitas referências, mas não abro mão desses processos de criação e fazer minha própria leitura da tendência”. 
Beatriz Gondim
designer

Infantil demais? 

Apesar do hype, o kidcore pode ser visto como infantil demais, conforme pontua Beatriz. “As pessoas acham que é acessório pra criança, coube muito a mim trazer esse novo olhar, mostrar como dá pra usar um blazer com um colar divertido, fiz toda essa comunicação pelo Instagram da marca, mostrando referências, isso aproximou as pessoas”. 

Legenda: Bonés com frases divertidas também podem ser peças da tendência
Foto: Divulgação/Tropical Mess

A consultora de estilo destaca ainda que é possível usar da tendência sem perder a seriedade ou a credibilidade, para isso, é só “dosar com seu estilo pessoal”. “Não temos só um estilo pessoal, existe um predominante, mas não quer dizer que você precisa se prender a isso”.  

“Dá pra compor uma camiseta divertida com peças de alfaiataria, um blazer ou uma sobreposição, por exemplo. Ou ainda apostar em acessórios divertidos e colocar referências de um estilo tradicional, assim você não deixa de ser você nem se limita”, conclui.