Impasse entre PT e PDT por apoio a Roberto Cláudio ou Izolda segue com falas de Sarto e Guimarães

Em diferentes entrevistas, os líderes partidários reforçaram posicionamentos que têm gerado desgastes na aliança

Montagem José Sarto e Guimarães
Legenda: O prefeito José Sarto (PDT) e o deputado federal José Guimarães (PT) reafirmaram suas preferência à sucessão
Foto: Reprodução Diário do Nordeste / PT

Após a tensão entre líderes do PT e PDT no Ceará ganhar desdobramentos no último final de semana, aumentando o clima de incertezas em torno da manutenção da aliança entre os partidos, o prefeito de Fortaleza, José Sarto (PDT), e o deputado federal e articulador do PT, José Guimarães, voltaram a dar declarações que acirram a disputa pela indicação de quem vai encabeçar a chapa governista em 2022.

Apesar de o PDT ter quatro pré-candidatos, a governadora Izolda Cela e o ex-prefeito Roberto Cláudio têm polarizado o debate.

Em entrevista à FM Assembleia nesta segunda-feira (16), Sarto voltou a indicar preferência para que seu antecessor Roberto Cláudio (PDT) seja o escolhido pelo grupo. Sarto ainda minimizou a possibilidade de ruptura da principal aliança do Estado.

"O PDT não vai sozinho para um embate eleitoral para a sucessão da governadora, mesmo que seja ela a candidata. O PDT precisa de partidos aliados, ouvir todo mundo e sentir de todos eles qual seria o projeto ideal para manter o nível de excelência que temos no Ceará", disse o prefeito da Capital.

Além do ex-prefeito e da governadora, o deputado federal Mauro Filho e o presidente da Assembleia Legislativa do Ceará (AL-CE), Evandro Leitão, estão disputando internamente. 

"O que não pode acontecer, e que eu sei que não acontecerá, é que vaidades possam tocar fogo e contaminar esse processo", acrescentou Sarto.

A fala de Sarto acontece poucos dias após o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, sair em defesa de Roberto Cláudio e minimizar a força eleitoral de Izolda para 2022. Ele disse que "Izolda não é muito conhecida" e criticou nomes no PT, como deputada federal Luizianne Lins, por quererem indicar um nome na sucessão, sendo a cabeça de chapa do PDT. 

Neste mês de maio, a preferência de ala do PT por Izolda e manifestações públicas de pedetistas em favor de Roberto Cláudio tem gerado episódios de desgastes na relação. O cenário piorou após ataques do pré-candidato a presidente Ciro Gomes, que acusou o PT no Ceará de fazer conchavo e de ter "um lado corrupto".

Na entrevista à FM Assembleia, Sarto ainda fez críticas ao pré-candidato a presidente do PT, Lula, e ao partido. "A prudência do PT seria, primeiro, fazer uma mea-culpa; ou não houve corrupção no governo do PT?", questionou o prefeito. 

Ele também minimizou as recentes manifestações em redes sociais indicando uma possível desistência do PDT em seguir com pré-candidatura de Ciro Gomes à Presidência da República. 

Guimarães volta a sugerir rompimento

Os recentes desentendimentos têm mobilizados aliados que, até então, evitavam manifestações públicas sobre um possível rompimento entre PT e PDT. Em um evento do Partido dos Trabalhadores, em Quixeramobim, no sertão central, também no último sábado (14), o vice-presidente nacional do PT, José Guimaraes, elevou o tom e disse que o partido tem "um plano A e um plano B" para a sucessão ao Governo. 

"Qual é o plano A? Manter a aliança e, para manter a aliança, tem que ser a Izolda candidata a governadora. Porque também, se não for, nós podemos discutir outras alternativas aqui no Ceará. Não tem outro caminho, nós temos força", pontuou. 

Indo de encontro ao nome de Roberto Cláudio, também deixou claro o clima de desgaste: "Quem fez o governo que nós fizemos aqui no Ceará não pode estar 'pedindo penico' a ninguém".

Izolda e Camilo em cerimônia de entrega de cargo
Legenda: Após a repercussão da fala de Carlos Lupi, Camilo demonstrou apoio à Izolda, ressaltando que ela "ajudou a construir" o Governo
Foto: Thiago Gadelha

Influência de Camilo

Ainda que defenda o nome de Roberto Cláudio como candidato a governador, Sarto destacou a influência e o peso da opinião do ex-governador Camilo Santana (PT) na indicação. 

Também no sábado, após a repercussão da fala de Carlos Lupi, Camilo demonstrou apoio a Izolda, ressaltando que ela "ajudou a construir" o Governo, e disse que ela é "merecidamente nossa governadora".

"Ele sabe a dificuldade que tem o próximo governador. A qualidade, os atributos que precisa ter para, se houver crise, saber bem representar como ele enfrentou. Ele, sem sombra de dúvidas, é o protagonista na sua sucessão", pontuou Sarto.