Presidente do PDT critica vetos no PT a Roberto Cláudio e diz que Izolda "não é muito conhecida"

Carlos Lupi voltou ainda a dizer que é irreversível a decisão de lançar Ciro como adversário de Lula

Carlos Lupi e Roberto Cláudio
Legenda: Carlos Lupi e Roberto Cláudio durante convenção do PDT no Ceará em 2019
Foto: Lucas Barbosa

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, em entrevista ao jornal O Globo, se pronunciou sobre a crise entre PT e PDT no Ceará, motivada, dentre outros pontos, pelo veto de alguns petistas à indicação do ex-prefeito de Fortaleza e pré-candidato pedetista, Roberto Cláudio (PDT).

"Vocês vão escolher o nosso candidato? É aí que está dando problema", disse Lupi.

Ao defender o ex-prefeito, ele ainda fez críticas à governadora Izolda Cela (PDT), nome defendido pelo PT para se a candidata na chapa, com o ex-governador Camilo Santana (PT) como candidato ao Senado.

"A minha amiga Izolda, que é uma mulher muito preparada, não é muito conhecida. Será que ela consegue em 3 meses ter esse conhecimento antes da convenção para se tornar favorita? Não sei. Acho pouco provável", falou o presidente.

O PDT tem quatro pré-candidatos ao Governo. Além de Roberto Cláudio e Izolda, o presidente da Assembleia Legislativa, Evandro Leitão; e o deputado federal Mauro Filho.

Ciro x Lula

Lupi fez menção ao Ceará em meio à discussão sobre o mal estar que tem gerado certa cobrança por uma retirada da pré-candidatura de Ciro Gomes (PDT) para apoio a Lula (PT) no primeiro turno.

"O partido está unido em torno da candidatura do Ciro de uma maneira irreversível", pontuou Lupi.

Sobre os impasses nas formações de palanques estaduais, o pedetista disse não haver incômodo com a possibilidade de dividir palanque entre Ciro e Lula.

"Como acontece no Ceará, como acontece no Maranhão, há a possibilidade de ter dois palanques. Até porque há o candidato a governador do PDT e o candidato a senador do PT, por exemplo. Aí o candidato a senador faz a campanha do Lula, e o nosso candidato a governador faz a campanha do Ciro. Isso já foi assim na eleição de 2018, e em alguns estados será assim esse ano", disse.

No Ceará, PT avalia lançar candidatura própria, ainda que tenha Camilo cotado ao Senado como forte aliado do PDT.

Luizianne Lins

Alinhado ao discurso de Ciro Gomes, Lupi saiu em defesa do ex-prefeito de Fortaleza ao ser questionado sobre o nó na aliança no Estado.

"O diálogo que eu tenho, para ser absolutamente sincero, é que o Roberto Cláudio é o candidato mais forte em todas as pesquisas para evitar o Capitão Wagner. Ele é o nome mais conhecido, foi prefeito de Fortaleza durante dois mandatos, fez o seu sucessor", pontuou. 

Em seguida, ele diz que o problema do PT com Roberto Cláudio são as derrotas que o partido sofreu na disputa municipal.

"E qual é o problema com Roberto Cláudio? Porque nessas duas eleições que ele ganhou e na terceira com o próprio sucessor, o adversário era do PT, era a Luizianne Lins. Ela lidera a corrente do PT que não quer, não o apoio ao PDT, mas o apoio ao Roberto Cláudio. E aí começa essa questão.  Nós vamos fazer uma aliança, vocês vão escolher o nosso candidato? É aí que está dando problema", afirma Lupi. 

Para o presidente nacional, "o tempo vai mostrar a solução".