Acilon condiciona apoio recíproco de Capitão Wagner a Bolsonaro para coligação no Ceará

Líder do PL defende candidatura própria, mas admite coligação com União Brasil caso Wagner apoie Bolsonaro

Escrito por Felipe Azevedo, felipe.azevedo@svm.com.br

PontoPoder
Acilon e Capitão Wagner em evento do PL
Legenda: Enquanto estuda lançar candidatura própria, Acilon aguarda aceno de Capitão Wagner por apoio a Bolsonaro no Ceará
Foto: Fabiane de Paula

O presidente do PL no Ceará e prefeito do Eusébio, Acilon Gonçalves, afirmou, neste domingo (17), que uma eventual coligação do partido com o União Brasil, do pré-candidato ao Governo do Estado Capitão Wagner, dependerá de um interesse recíproco de apoio de Wagner ao presidente Jair Bolsonaro para ser firmada.

Em discurso na Marcha para Jesus, neste sábado (16), em Fortaleza, Bolsonaro (PL) sugeriu dobradinha de campanha com Wagner e pregou união entre apoiadores no Estado. 

"Se o Brasil tem problema, chama o capitão. Se o Ceará tem problema, chama o Capitão. Esse Ceará, esse Nordeste é nosso. (...) O Ceará deve se unir, os bons devem se unir, a causa é o futuro do nosso Estado e do nosso Brasil", disse o presidente.

Em meio à indefinição, Acilon ainda não descarta ter uma candidatura própria para disputar o Executivo. Ele estuda lançar o ex-deputado federal Raimundo Gomes de Matos caso não haja acordo com o Capitão Wagner para uma coligação. 

"Sempre me posicionei em defesa da candidatura própria e ainda estou a defendê-la. Porém, sempre coloquei que a executiva nacional do PL e o presidente Bolsonaro hoje, e hoje mais do que ontem, tem uma tendência de que o PL apoie o Capitão", ressaltou Acilon em nota enviada ao Diário do Nordeste.

No posicionamento, ele frisa que "Capitão Wagner tem uma tendência de apoiar o presidente Bolsonaro". "Havendo essas duas ideias conjuntas, será feita a coligação", completou o prefeito, ressaltando que é preciso uma convergência de apoios. 

Procurado diretamente e através de assessoria para comentar a fala de Acilon, o Capitão Wagner não respondeu os questionamentos até a publicação da matéria. 

Veja a nota na íntegra:

"Sempre me posicionei em defesa da candidatura própria, e ainda estou a defendê-la. Porém, sempre coloquei que a executiva nacional do PL e o presidente Bolsonaro hoje, e hoje mais do que ontem, tem uma tendência de que o PL apoie o Capitão. E ainda: que o Capitão Wagner tem uma tendência de apoiar o presidente Bolsonaro. Havendo essas duas ideias conjuntas, será feita a coligação."

Acilon e Bolsonaro 

O prefeito de Eusébio, que é um ex-aliado histórico dos irmãos Ferreira Gomes no Ceará, postou, na tarde deste domingo (17), registros ao lado de Jair Bolsonaro durante passagem do Chefe do Executivo por Natal, no Rio Grande do Norte e Fortaleza neste sábado. 

Print do Instagram com Acilon e Bolsonaro
Legenda: Prefeito de Eusébio postou na tarde deste domingo (7) registro ao lado de Bolsonaro
Foto: Reprodução/Instagram

Junto com uma comitiva de apoiadores, o Presidente da República esteve no Ceará para uma motociata durante a tarde. O ato seguiu até o aterro da Praia de Iracema, onde ocorreu o evento religioso Marcha para Jesus, que vem sendo realizado ao redor do País. 

"Estive acompanhando a visita do presidente Jair Bolsonaro ao Nordeste. Em Natal/RN, foi momento de várias atividades cristãs onde estivemos no Santuário dos Mártires, Assembleia de Deus Templo Central e participamos de uma grande Marcha para Jesus. Logo após, nos deslocamos para Fortaleza, para participar da maior moticiata do Brasil", escreveu o prefeito.