'Tem que se entender o jogo político dos outros', diz Acilon sobre candidatura do PL ao governo

Expectativa é de que o partido defina rumo sobre candidatura ao Governo do Estado no dia 15 deste mês

Escrito por Igor Cavalcante, Wagner Mendes,

PontoPoder
Legenda: O prefeito de Eusébio vai coordenar a campanha bolsonarista no Ceará
Foto: Fabiane de Paula

O presidente estadual do PL no Ceará, prefeito Acilon Gonçalves declarou nesta quarta-feira (6) que o partido deverá definir o rumo sobre a candidatura ao Governo do Estado por volta do dia 15 deste mês. Há possibilidade de candidatura própria, mas também de apoio ao nome de Capitão Wagner (UB).

Acilon, que lidera politicamente várias prefeituras do litoral leste cearense, vai esperar as definições dos demais grupos (o que inclui a base governista) antes de qualquer definição na oposição bolsonarista.

"Tem que se entender o jogo político dos outros para que o projeto político-administrativo seja vitorioso", disse o gestor durante evento de lançamento da pré-candidatura presidencial de Jair Bolsonaro no Ceará.

Capitão Wagner (UB) foi convidado ao evento. O pré-candidato tem buscado dialogar com o partido na tentativa de uma pactuação até 5 de agosto — último dia para o registro das candidaturas.

Raimundo Gomes de Matos, um dos nomes cotados do PL para disputar a cadeira de governador do Ceará, disse que a candidatura própria da legenda "está dependendo de uma pactuação" com partidos que rondam o campo bolsonarista.

"Acredito que essas pactuações vão ocorrer no segundo tempo do jogo, faltando dois minutos da prorrogação, algo nesse sentido", admitiu o ex-deputado federal.

Evento

O encontro com lideranças da direita buscou unificar grupos bolsonaristas que estão "soltos" pelo Estado. O PL quer construir um discurso de campanha alinhado em defesa do presidente da República.

Outra estratégia é buscar dados oficiais de investimentos públicos feitos pela União no Ceará para fortalecer a imagem de Bolsonaro no Ceará.

Assuntos Relacionados