Ranking mostra setores de empresas com mais reclamações de consumidores no Brasil; veja lista

As principais queixas estão ligadas a reajustes abusivos

Escrito por Redação,

Negócios
Ligação
Legenda: Após oito anos seguidos, o setor de saúde suplementar só deixou de liderar o ranking em 2020, voltando ao topo em 2021
Foto: Agência Brasil

Os problemas relacionados a planos de saúde são os que mais causam transtornos aos brasileiros, totalizando 24,9% das reclamações registradas no Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), em 2021. 

As principais queixas estão ligadas a reajustes abusivos (27,4%), recusa de cobertura de serviços (16,2%) e a falta de informação (13,1%). 

No primeiro caso, a maioria das reclamações envolve planos coletivos. A categoria, contudo, não é regulada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Não é novidade que esses convênios provocam dor de cabeça aos consumidores. Após oito anos seguidos, o setor de saúde suplementar só deixou de liderar o ranking em 2020. 

Info
Legenda: Veja o ranking nos últimos quatro anos
Foto: Idec / Divulgação

Naquele primeiro ano de pandemia de Covid-19,  os problemas relacionados a serviços financeiros assumiram a primeira colocação. Para o advogado do Idec, Igor Marchetti, a mudança de posições demonstra que a crise sanitária represou a busca por alguns serviços. 

“Com a retomada dos setores da economia, é possível notar a retomada a uma certa ‘normalidade’ e, com isso, temos a volta de Saúde como principal tema demandado”, avalia.

Outro ponto, acrescenta, é o aumento proporcional das outras demandas elencadas, como Turismo, Transporte Aéreo, Energia Elétrica, Educação etc. “Isso demonstra a pulverização das demandas de consumo em vários grupos", completa. 

Diário do Nordeste questionou à ANS sobre o acompanhamento da situação e o que o órgão tem a dizer sobre o resultado da pesquisa e aguarda resposta. 

Em nota, a Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde) — que representa 15 operadoras — informou acompanhar acompanha continuamente os índices de reclamação da Saúde Suplementar por meio de órgãos oficiais, como a ANS e a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon). 

"Todos os planos de saúde associados à FenaSaúde oferecem canais de ouvidoria para esclarecimentos e tratativa das demandas recebidas, que em sua maioria resolvem as questões dos consumidores sem que seja necessário acionar instâncias externas", disse. 

Serviços financeiros continuam causando transtornos aos consumidores 

Em segundo lugar na pesquisa, aparece a categoria de Serviços Financeiros, com 21,5% dos registros. Dentro desse segmento, o maior número de reclamações se deve à cobrança indevida (21%), falha de informação (15,8%) e problemas com renegociação de dívidas (13%).

Na terceira colocação, ficaram as dúvidas e queixas relacionadas a outros tipos de serviços, com 11,9% dos atendimentos. Os problemas mais demandados foram relativos a contratos (17%), seguido por vício de qualidade no serviço prestado (14,5%) e cobrança indevida (13%).

Na sequência ficaram as dúvidas e queixas relacionadas a Produtos, com 8,7%. Na liderança ficaram os problemas com ofertas, com 35,5%, seguido por vício de qualidade, com 33,3%, e falha de informação, com 10%