Produção industrial no Ceará cresce 4,9% nos dois primeiros meses de 2021

Nos últimos 12 meses, porém, a atividade no Estado ainda apresenta retração de 5,8%

fotografia
Legenda: Fabricação de produtos têxteis avançou 28,5% no primeiro bimestre deste ano, de acordo com a pesquisa do IBGE
Foto: Rayane Oliveira/Fiec

Mesmo com os impactos provocados pelo avanço da Covid-19, a produção industrial cearense cresceu 4,9% no primeiro bimestre de 2021 na comparação com os primeiros dois meses do ano passado, quando ainda não haviam sido registrados casos da doença no Brasil.

Os dados fazem parte da Pesquisa Industrial Mensal (PIM-PF/RG) e foram divulgados na manhã desta quinta-feira (8) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Apesar do resultado bimestral positivo, a produção industrial em fevereiro no Ceará caiu 7,7% na comparação com janeiro de 2021. Esse resultado, nessa base de comparação, mostra que a produção industrial cearense teve o seu pior fevereiro desde o início da série histórica da pesquisa (2002).

Além disso, de acordo com o IBGE, a alta bimestral de 4,9% no início deste ano revela desaceleração da indústria, já que no último trimestre de 2020 a produção avançou 9,4%. Esse arrefecimento também foi observado em onze dos 15 locais pesquisados pelo instituto.

A queda da indústria cearense na passagem de janeiro para fevereiro foi o pior resultado entre todos os locais pesquisados pelo IBGE. Os maiores avanços mensais foram observados no Mato Grosso (7,3%) e Espírito Santo (4,6%).

Na comparação entre fevereiro de 2021 e fevereiro de 2020, houve retração de 0,5% na produção industrial do Ceará.

Nos últimos 12 meses até fevereiro deste ano, a produção industrial do Ceará ainda apresenta queda ante os 12 meses imediatamente anteriores. Houve recuo de 5,8%, de acordo com a pesquisa.

Setores

O destaque ficou por conta da fabricação de "outros produtos químicos", cuja produção avançou 52,8% no primeiro bimestre deste ano. A fabricação de produtos têxteis saltou 28,5%.

Na outra ponta, impedindo um resultado melhor, ficaram as quedas registradas na fabricação de produtos alimentícios (-18,5%) e na fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos (-14,9%).

Média nacional

No Brasil, a produção industrial acumula alta de 1,3% no primeiro bimestre deste ano ante igual período de 2020.  Na passagem de janeiro para fevereiro, houve leve crescimento de 0,4%.

Comparando, porém, fevereiro de 2021 com fevereiro de 2020, houve queda de 0,7% na produção industrial. Nos últimos 12 meses, a atividade acumula retração de 4,2%.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios