Entenda por que o IPVA 2022 deve pesar mais no seu bolso

Carros usados ficaram até 29% mais caros e isso deve se refletir no cálculo do imposto no ano que vem

Legenda: No ano passado, o imposto pago pelos contribuintes cearenses teve uma redução média de 4,95% e a alíquota ficou entre 0,5% e 3,5%
Foto: Fabiane de Paula

A falta de peças provocada pela paralisação de atividades nas indústrias durante a pandemia catapultou o preço de veículos novos, impactando também o mercado de seminovos e usados. Em meio à alta de preços generalizada, o consumidor deve se preparar para mais um baque no ano que vem: o IPVA 2022.

Isso porque, mesmo que as alíquotas dos veículos se mantenham inalteradas, os valores na tabela Fipe subiram, o que deve alterar a base de cálculo do IPVA e isso deve ser observado em todas as regiões do País.

Como é feito o cálculo

No ano passado, o imposto pago pelos contribuintes cearenses teve uma redução média de 4,95%. Outra redução operada pela Secretaria da Fazenda do Ceará para o imposto em 2022 poderia amenizar os efeitos da forte elevação dos preços dos veículos sobre o tributo.

As alíquotas e mais informações sobre o IPVA do ano que vem só devem ser divulgadas pela Pasta no fim do ano. Em julho deste ano, porém, a Sefaz estimou uma arrecadação de R$ 1,1 bilhão com o imposto em 2022.

Caso siga os moldes do ano passado, além de considerar os valores na tabela Fipe para o cálculo do imposto, a Sefaz no Ceará também deve consultar dados do Sindicato dos Revendedores de Veículos Automotores do Ceará (Sindivel).

E como o efeito da paralisação das indústrias em decorrência da pandemia - aliado à forte demanda por veículos, seja para trabalhar com transporte por aplicativo ou para fugir dos riscos que as aglomerações e transportes coletivos podem oferecer - foi em cadeia, obviamente os impactos não se limitaram aos novos e o mercado de seminovos e de usados foram afetados.

Por exemplo, matéria do Diário do Nordeste com base em um levantamento da Webmotors mostra que os carros usados no Ceará ficaram até 30% mais caros em 2021. É o caso do Volkswagen Cross Up, cuja valorização deixou investidores com carteiras razoáveis na bolsa brasileira “no chinelo”, digamos assim.

Tendência de alta

O economista Alex Araújo reforça que a alta nos preços dos veículos observada ao longo deste ano deve, de fato, elevar o valor do IPVA em 2022 e ser mais uma vilã no orçamento do consumidor no início do ano, época em que já estão previstos outros gastos como seguro veicular, IPTU, matrícula e material escolar.

“Em alguns fabricantes, ainda existe fila para entrega de veículos novos e isso fez com que a demanda por usados também subisse. Como o IPVA utiliza a sistemática de consulta da tabela Fipe, devemos ter, sim, um impacto no imposto do ano que vem”, explica Araújo.

Ele também acredita que esses impactos podem ser amenizados caso a Sefaz opere outra redução no valor médio do imposto, mas reforça que ainda não se sabe como a secretaria vai proceder.

O economista lembra que a alíquota do IPVA varia de acordo com alguns fatores, como idade do veículo - sendo maior nos mais novos e menor para veículos mais antigos - e perfil (se é um carro mais luxuoso ou não). Em 2021, as alíquotas variaram entre 0,5% e 3,5%, sendo que a maior parte dos 2,3 milhões de veículos tributados tiveram a aplicação de uma alíquota de 3% sobre seu valor venal.

Alternativa para economizar

Além do conhecido desconto de até 5% para o pagamento do IPVA à vista concedido tradicionalmente pela Sefaz todos os anos, outra alternativa que pode ajudar o contribuinte a ter um alívio diante desse cenário é a utilização dos abatimentos a partir do aplicativo Sua Nota Tem Valor, da própria Secretaria.

O programa foi lançado no ano passado, mas foi em 2021 que a possibilidade de acumular pontos em cupons fiscais para o abatimento de até 5% no imposto foi anunciado. O desconto do Sua Nota é cumulativo com o abatimento para pagamento à vista.

Portanto, se o contribuinte pagar em cota única na data estabelecida pela Sefaz e tiver atingido a pontuação máxima de desconto no aplicativo, pagará 10% a menos no tributo.

Durante o lançamento dos descontos no IPVA dentro do app, a Pasta havia previsto renúncia fiscal de R$ 1 milhão com os abatimentos que devem ser concedidos.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios

Assuntos Relacionados