PIB do Ceará deve ter alta de 3,6% em 2021, prevê estudo

Projeções são baseadas no avanço da vacinação contra Covid-19 ao longo do ano

Legenda: Investimento público favorece atividades econômicas cearenses ligadas a cadeia da construção civil.
Foto: Kid Júnior

O avanço do processo de vacinação e a consequente volta gradual ao ritmo normal das atividades econômicas devem garantir uma expansão de 3,6% do Produto Interno Bruto (PIB) no Ceará em 2021 e de 3,3% em 2022. A previsão é do Núcleo de Pesquisas Econômicas (Nupe) da Universidade de Fortaleza (Unifor).

Conforme a edição de março do boletim econômico do grupo, as altas são referentes ao chamado cenário provável. Mesmo após uma retração de 3,56% no ano passado, a projeção indica altas consideráveis diante do equilíbrio fiscal das contas públicas estaduais, que tem permitido o Executivo apresentar alto nível de investimento público em relação à Receita Corrente Líquida (RCL).

Em 2020, o Estado realizou investimentos da ordem de R$ 2,48 bilhões, o equivalente a 11,3% da RCL. O percentual foi o maior entre os estados brasileiros pelo sexto ano seguido.

O coordenador do curso de Economia da Unifor, Allisson Martins, detalha que a retomada econômica deve acontecer, principalmente, no segundo semestre do ano.

"Esperamos que, com o avanço da vacinação e com uma temperatura política mais baixa, a confiança dos empresários seja elevada, o que aumenta investimentos e repercute no lado da demanda, com crescimento da renda e do consumo".
Allisson Martins
Coordenador do curso de Economia da Unifor

Avanço superior ao nacional

O crescimento de 3,6% no Estado é mais forte que o previsto para o Brasil no mesmo cenário (2,7%). O mesmo acontece em 2022, quando a economia local deve avançar 3,3% enquanto a nacional ficará na casa dos 2,3%.

Martins lembra que a previsão do Nupe é próxima ao prognóstico divulgado pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), que estima alta de 3,55% no PIB cearense em 2021.

"Para 2022, continua a perspectiva positiva e deveremos ter a recuperação de todos os prejuízos acumulados durante a pandemia. Isso porque mesmo com alta de 3,6%, superior à queda de 2020, a gente não consegue recuperar as perdas totais em razão da base de comparação", explica.

Ele acrescenta que, além de recuperar as perdas, o fluxo econômico local deve voltar ao patamar anterior à pandemia, com crescimentos superiores ao do Brasil, assim como tem acontecido nos últimos 10 anos.

Outros cenários

O Nupe ainda realizou previsões para o PIB do Ceará e do Brasil em cenários pessimista e otimista. Conforme o levantamento, na pior das hipóteses, o Estado deve registrar alta de 2,6% em 2021 e de 2% em 2022. No caso do Brasil, os avanços seriam de 1,8% e de 1,1% respectivamente.

Se a conjuntura for melhor que a esperada, o Ceará pode alcançar crescimento de 4,5% este ano e de 4,6% em 2022. Já o País pode ter incrementos de 3,6% tanto em 2021 quanto em 2022.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios