Eventos corporativos e cerimônias menores devem iniciar retomada

Liberação de eventos menores a partir do dia 14, no Estado, deve movimentar ramos de bufês e decoração. Apesar das limitações de público e de horário, setor comemora retorno das atividades

Liberados pelo Governo do Estado para retomar as atividades gradualmente a partir do dia 14 de setembro na Capital e na macrorregião de Fortaleza, o setor de eventos prevê que cerimônias de pequeno porte, como casamentos, aniversários e eventos corporativos devam engatar a retomada do setor. De acordo com a presidente do Sindicato das Empresas Organizadoras de Eventos e Afins do Estado do Ceará (Sindieventos), Circe Jane Teles, o momento é de reorganização das empresas para se adequar às novas exigências sanitárias.

"Nesta semana que está por vir, devemos nos reunir com vários organizadores para saber como estão as demandas. Com esse limite de público (até 100 pessoas), o foco será em eventos corporativos, que são os que temos que planejar com antecedência, mas também poderão acontecer algumas cerimônias sociais de pequeno porte, como casamentos e aniversários, por exemplo", afirma

Apesar do limite de 100 pessoas ser considerado pequeno, representantes do setor avaliam que o fato de poder retomar as atividades já é visto como um indício positivo, como explica a presidente do Visite Ceará - Fortaleza Convention & Visitors Bureau, Ivana Bezerra.

"Mesmo sendo uma quantidade muito reduzida, a gente precisa começar, precisa voltar. É importante esse recomeço para nós. Um evento mexe com muita gente, são muitos setores envolvidos", diz.

Conforme anunciado ontem (28) pelo governador Camilo Santana e pelo prefeito Roberto Cláudio, além dos pequenos eventos poder retornarem no dia 14, a abertura de teatros, museus, bibliotecas e cinemas já serão liberadas a partir de segunda-feira (31), com o limite de até 35% da capacidade e atendimento às exigências de protocolo específico a ser divulgado.

Fases

Ivana prevê que durante os primeiros 21 dias de retomada do setor, período que corresponderia às fase de transição e 1 do plano apresentado ao setor pelo Estado, conforme o Diário do Nordeste informou com exclusividade na última quarta-feira (26), o volume maior de contratação de pessoal por empresas do segmento deve acontecer nos ramos de bufês e decoração.

Na transição, que tem duração prevista de sete dias, serão permitidos apenas a realização de eventos para até 100 convidados, com ocupação de uma pessoa a cada 12 metros quadrados (m²) e sem entretenimento que agregue pessoas.

Na etapa seguinte, a fase 1 teria a capacidade de ocupação dos eventos corporativos ampliada a uma pessoa a cada 7 m² e, de outros tipos de eventos, a uma pessoa a cada 12 m², com previsão de duração de 14 dias. As fases 2 e 3 limitariam a capacidade a 300 a mil pessoas, respectivamente, que deve ser atingida já mais próximo do fim do ano, estima Ivana. Apesar de considerar uma expectativa "pessimista", o segmento afirma que deve ser suficiente para uma boa movimentação no setor.

"Tudo vai depender dos dados da Secretaria da Saúde, mas o plano é esse, de mil pessoas até o fim do ano. Apesar de não ser muito, deve gerar uma movimentação intensa para vários trabalhadores envolvidos neste processo", prevê a presidente.

Bares e restaurantes

Responsável por promover alguns eventos em suas dependências, os bares e restaurantes não esperam que a retomada do setor venha a repercutir em suas atividades, como explica o diretor executivo da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel/CE), Taiene Righetto.

"Pelo que foi dito hoje pelo governador, não há possibilidade de promover entretenimento, não pode ter música ao vivo, devem ser eventos mais corporativos e limitados até as 23 horas. Então, não acompanha o perfil dos eventos que normalmente são promovidos por nós", pontua

Os bares seguem inativos no Estado e os restaurantes com horário limite até às 23h.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios