Empresa cearense envia oxigênio hospitalar para Manaus

Empresa White Martins passa a mandar, semanalmente, 70 mil metros cúbicos de oxigênio para aliviar a crise de saúde na capital amazonense

Legenda: A unidade da empresa na ZPE Ceará tem capacidade total de produzir mais de duas mil toneladas de gases por dia
Foto: Divulgação/ZPE

A planta da empresa de oxigênio hospitalar White Martins localizada na Zona de Processamento de Exportação (ZPE), no Ceará, enviou na última terça-feira (12) e ontem (14) as primeiras remessas de carretas de oxigênio para atender a demanda gerada pela grave crise de saúde em Manaus, capital do Amazonas. Serão enviados pela unidade na ZPE, semanalmente, 70 mil metros cúbicos de oxigênio.

A unidade da empresa na ZPE Ceará tem capacidade total de produzir mais de duas mil toneladas de gases por dia. Além do oxigênio, o nitrogênio, dedicado à preservação do sangue e tecidos vitais, também é produzido na planta local.

Segundo a diretora de operações da ZPE Ceará, Andréa Freitas, a empresa já tem trabalhado para que toda a logística de transporte dos cilindros seja feita de maneira ágil e eficiente, em virtude da urgência da situação.

"Nós que somos responsáveis pela área de operações da ZPE Ceará estamos empreendendo todos os esforços necessários para que o envio desse oxigênio seja um sucesso. Estamos em contato permanente com o setor operacional da White Martins para garantir que tudo seja feito de maneira mais célere possível, principalmente porque estamos lidando com vidas", diz.

Atendimento

O envio do oxigênio produzido pela White Martins na ZPE Ceará será feito até que a demanda da rede hospitalar de Manaus seja inteiramente atendida. A empresa possui uma unidade instalada em Manaus, mas devido à alta demanda gerada pelo avanço da Covid-19 na cidade, a White Martins reforçou o fornecimento na capital amazonense com gases produzidos em outros estados.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios