Comércio e restaurantes otimistas sobre ampliação de horário em novo decreto do Ceará

Confira proposta do comércio para alargar o horário de funcionamento. Comitê discute amanhã o novo decreto

Legenda: Fecomércio-CE pede que comércio de rua passe a funcionar das 9h às 19h na próxima semana
Foto: Fabiane de Paula

O Comitê Estadual de Enfrentamento à Pandemia do Coronavírus realizou reunião virtual no início da tarde desta quinta-feira (13) para analisar a evolução dos indicadores sanitários, que apontam para uma melhora. Com o quadro de contaminação mais brando, comércio e restaurantes veem cenário propício para o aumento do horário de funcionamento a partir da próxima semana.

Amanhã (14) à tarde deve haver reunião para avaliar o novo decreto de isolamento social do Ceará. No entanto, não há confirmação por parte do Estado sobre o anúncio. Nas últimas ocasiões, o governador Camilo Santana oficializou a decisão algumas vezes na sexta-feira e outras, no sábado. 

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza (CDL Fortaleza), Assis Cavalcante, aponta que a reunião de hoje "foi esclarecedora" e que, com a baixa dos índices de contaminação e de mortes, o setor fica na expectativa do avanço da flexibilização.

"As lojas de rua estão fechando às 16h, a indústria às 17h e os shoppings às 18h. São apenas três horas para a saída de todo mundo. Isso está causando aglomerações nas paradas de ônibus e nos próprios ônibus".
Assis Cavalcante
Presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza (CDL Fortaleza)

Proposta do comércio

Cavalcante revela que, ainda na semana passada, foi apresentada ao Comitê uma proposta para que o funcionamento das lojas de rua seja estendido até as 18h e que os shoppings permaneçam abertos até as 22h.

O vice-presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio-CE), Maurício Filizola, reforça que os números apresentados indicam uma situação de queda nos indicadores de saúde.

"Esse equilíbrio dos números faz com que a gente se alegre e possa voltar à nossa linha de ampliação para abertura do comércio. Encaminhamos na semana passada uma proposta de flexibilização e o governador prometeu avaliar amanhã e já divulgar o que ficar decidido. Nossa esperança é que devemos ter ampliação,  mas ainda não sabemos em que patamar", pontua.

Ele detalha que a sugestão encaminhada pela entidade é para que o funcionamento das lojas de rua passe a ser de 9h às 19h, dos shoppings de 12h às 22h e dos restaurantes também até às 22h.

"O que a gente sempre procura argumentar é que quando se tem um horário extensivo, se consegue diluir esse público que procura o comércio de forma mais harmônica, sem concentrar num só horário a entrada e saída de pessoas".
Maurício Filizola
Vice-presidente da Fecomércio-CE

Restaurantes

O presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Taiene Righetto, indica que a expectativa é realmente de um avanço do plano de retomada, permitindo o funcionamento do setor no período noturno, que concentra cerca de 80% dos estabelecimentos.

O pedido do segmento é que o atendimento ao público seja estendido até as 23h. "Até agora, os índices deram uma boa melhorada geral, tanto na ocupação de leitos quanto na contaminação e mortes. Não foi falado se vai ser flexibilizado, mas é muito provável que tenhamos. Só não sei se vão atender o nosso pedido para o horário noturno", indica.

Ele lembra que o setor está há cerca de um mês na mesma fase do plano de retomada, sem novos avanços, o que configuraria uma reabertura bem mais lenta que a do ano passado.

"Se for comparar com o ano passado, agora já estaríamos funcionando até as 23h. Não estão usando mesmos critérios. Estamos bem mais apetados", afirma o presidente da Abrasel.

Indicadores sanitários

Conforme publicação do governador Camilo Santana nas redes sociais, a média móvel de óbitos por covid-19 em Fortaleza ficou em 15,4 mortes nesta quarta-feira (12), de acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). 

Já o percentual de testes positivos na Capital na última semana apresentou leve alta e chegou a 48,3%, contra 45,9% da semana anterior. Apesar da elevação, o número total de testes caiu drasticamente de 3,2 mil para 1,1 mil.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios

Assuntos Relacionados