Após 11 altas consecutivas, Petrobras reduz preço da gasolina nas distribuidoras

Valor cobrado pelo diesel também sofreu redução. Medida ocorre um dia após caminhoneiros realizarem manifestações em todo o País

Escrito por Redação,

Negócios

Um dia após caminhoneiros de todo o Brasil realizarem diversas manifestações contra os sucessivos aumentos dos combustíveis, a Petrobras anunciou nesta terça-feira (22) uma redução nos valores cobrados pelo litro da gasolina e do diesel nas distribuidoras. Trata-se da primeira queda no preço da gasolina após 11 dias consecutivos de alta, o que gerou uma disparada no valores praticados pelos postos do País.

Segundo a Petrobras, o preço da gasolina nas distribuidoras, sem contar os tributos, passará a ser R$ 2,0433 a partir desta quarta-feira (23), abaixo dos R$ 2,0867 cobrados atualmente. Já o diesel custará 2,3351, aproximadamente três centavos a menos do que os R$ 2,3716 praticados hoje. Tal queda não garante que os valores nos postos serão reduzidos, tendo em vista que o mercado de combustíveis é livre.

LEIA AINDA:

 
A última vez que a Petrobras reduziu o preço da gasolina foi no dia 3 de maio, quando o litro passou de R$ 1,8072 para R$ 1,7893 nas distribuidoras. De lá para cá, o combustível passou por altas consecutivas e atingiu o valor máximo de 2,0867, quase 30 centavos acima do que era praticado no início do mês.

No Ceará, a gasolina chegou a ser vendida por R$ 5,94 em um posto de combustível de Maracanaú entre os dias 9 e 11 deste mês, mas o local reduziu os valores após uma forte repercussão negativa na região.

Reunião de emergência

A alta do preço dos combustíveis e a reação de caminhoneiros levaram o Palácio do Planalto a marcar, ainda nesta segunda-feira, uma reunião de emergência para discutir o tema. Desde o início do ano, o governo já vinha estudando formas de conter a elevação do preço da gasolina, do diesel e do gás de cozinha. O presidente Michel Temer pediu recentemente que o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, buscasse alternativas.

Na sexta-feira (18), Moreira disse que o governo quer discutir a política de preços dos combustíveis no País, diante da escalada recente provocada pela alta do preço do petróleo no mercado internacional.