Aplicativos de mobilidade urbana se expandem para o interior do Ceará

Cidades fora da região metropolitana começam a ser contemplada por opções de transporte de aplicativo, facilitando a locomoção

Escrito por Heloisa Vasconcelos, heloisa.vasconcelos@svm.com.br

Negócios
Legenda: Aos poucos, cidades distantes dos centros urbanos começam a ter acesso a tecnologias de mobilidade
Foto: Thiago Gadelha

Moradora de Tianguá, no interior do estado, a estudante Saphira da Silva, de 30 anos, precisava andar até a praça da cidade e pegar um mototáxi caso precisasse ir para um local que não fosse possível ir a pé. Mas, nos últimos anos, a situação mudou. 

Aplicativos de transporte têm se popularizado na cidade, localizada a 320 km de Fortaleza. A tecnologia aos poucos se expande para municípios mais distantes dos centros urbanos, possibilitando modais de mobilidade mais práticos e acessíveis à população. 

Para o doutor em engenharia de transportes e professor da UFCA, Ary Silva, os aplicativos de transporte se tornam importantes nas cidades do interior, que não costumam ter uma rede de transporte urbano bem estruturada. 

A tecnologia, contudo, tem que chegar com adaptações para as particularidades de cada cidade, considerando o acesso da população à tecnologia e as principais rotas. 

Mobilidade é complexa, depende muito da cultura da população e do estilo de vida. Há um leque de informações, trabalha com várias linhas, depende de economia, cultura, socialização. É difícil, mas eu creio que se a gente conseguir acertar agregando demais modais e integrando modais, a tendência mundial é conseguir integrar esse sistema como um todo para facilitar a vida das pessoas para elas conseguirem se locomover na geografia da região".
Ary Silva
doutor em engenharia de transportes e professor da UFCA

Mobilidade urbana nas cidades pequenas 

Ary explica que algumas cidades menores não possuem uma demanda tão urgente por novos modais de mobilidade, já que muito pode ser resolvido a pé.  

Mas, a presença de equipamentos como universidades ou indústrias, que levam a um maior crescimento da região, faz surgir os problemas de locomoção. 

Em cidades um pouco maiores precisa de uma tecnologia mais avançada, como na capital, para ter transporte para toda a população. Tanto as pequenas empresas de mobilidade podem entrar, como mototaxistas também. 

Segundo o professor, o uso de tecnologias de transporte no interior pode ficar inicialmente limitado ao público mais jovem, já que a população idosa não tem costume no manuseio de aplicativos. 

“Teria que incentivar e fazer um marketing para trazer o pessoal da terceira idade para usar mais os aplicativos”, aponta. 

Foco no interior 

Acostumado com a mobilidade na capital de São Paulo, o empresário Alécio Cavalcante sentiu dificuldade para se locomover quando começou a fazer negócios no interior. Daí surgiu a ideia de fazer um aplicativo como Uber ou 99, mas voltado especificamente para esse público. 

A Ubiz Car surgiu em 2018, inicialmente em Parnaíba, no Piauí. A iniciativa se expandiu para 23 cidades em todo o país, incluindo Tianguá e Itapipoca, no Ceará. O plano é que a operação chegue em Iguatu, Sobral e Quixadá ainda neste ano.

Legenda: Ação da Ubiz Car em Tianguá
Foto: Divulgação

Para se adaptar às particularidades de cada cidade, a empresa adotou um modelo de franquias. 

“Por meio de franquias, conseguimos transmitir a cultura daquela cidade. Cada operação da Ubiz Car se ajusta à cultura daquela cidade. Não tem um padrão unificado, tem um padrão disposto a se tornar adaptável”, destaca Alécio. 

A empresa estabelece um suporte em cada cidade, conseguindo ficar mais próximo tanto do motorista quanto do passageiro.  

A gente consegue viabilizar parcerias com estabelecimentos comerciais como postos de combustíveis, mecânicas, lava-jatos. Hoje, como todas as cidades têm uma central, acaba ajudando o motorista na parte educativa, no treinamento para lidar com os passageiros e também é um corpo fiscalizador".
Alécio Cavalcante
CEO e fundador da Ubiz Car

Para ajudar a população, a plataforma aceita corridas também por meio de central telefônica e WhatsApp, além do aplicativo. Hoje, são 193 motoristas e 36.432 usuários no Ceará. 

Acesso à cidade 

Saphira hoje divide residência entre Tianguá e Parnaíba, onde faz faculdade. Foi no Piauí que descobriu e passou a utilizar a Ubiz Car.  

Ela já havia utilizado Uber em Fortaleza e sentia falta de uma tecnologia do tipo no interior. A mãe da estudante também utiliza o serviço com frequência, ligando por meio da central telefônica.  

“Não tem transporte público de qualidade em Tianguá, tinha as vans e eu andava muito de mototáxi. Era ruim porque se eu tivesse de sair de casa, tinha que ir próximo para a pracinha, às vezes de noite era muito perigoso e nem tinha [mototáxi] também”, lembra. 

Segundo a estudante, a mobilidade era “impossível” para quem não tinha carro ou moto. A Ubiz Car hoje é o único transporte de aplicativo que funciona na cidade.  

Expansão 

Em nota, a Uber afirmou estar presente em mais de 500 cidades no país. Além de Fortaleza e região metropolitana, a empresa está presente em “diversos outros municípios cearenses”, incluindo Itapipoca, Sobral e Juazeiro do Norte. 

O aplicativo de transporte ressaltou que foi realizado um investimento de cerca de R$ 100 milhões em iniciativas como promoções de ganhos adicionais e parcerias que ajudam a reduzir os custos dos parceiros, incentivando o uso da plataforma. 

Já a 99 informou em nota que reforça “o compromisso em oferecer um transporte seguro, eficiente e acessível, investindo continuamente na expansão e oferta de produtos que façam sentido e atendam às necessidades dos usuários”. 

Atualmente a plataforma está presente em 1.600 cidades brasileiras, tem 20 milhões de usuários e 750 mil motoristas parceiros cadastrados. No Ceará, o serviço está disponível em 28 municípios. 


Allisson Martins

O Agronegócio e os Derivativos

Allisson Martins
24 de Maio de 2022