Agências do INSS retomam atendimento em Fortaleza, mas beneficiários voltam para casa sem perícia

Pessoas que foram às agências relataram que o site do órgão permitiu agendamento para perícia, mesmo sem o serviço estar disponível

Agência do INSS
Legenda: Beneficiários não conseguiram realizar a perícia médica na reabertura das agências
Foto: José Leomar/SVM

As agências de atendimento do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) retomaram o funcionamento nesta segunda-feira (14), com agendamento. Os serviços de perícia médica foram suspensos. Beneficiários, no entanto, relataram que fizeram o agendamento para perícia, e só foram informados da impossibilidade de atendimento ao chegar às agências. 

A reportagem do Diário do Nordeste presenciou filas nas unidades dos bairros Centro e Messejana e beneficiários voltando para casa sem atendimento. O serviço de perícia médica não retornou presencialmente pois os profissionais que realizam os exames fazem parte da Perícia Médica Federal, que não pertence aos quadros do INSS, mas ao Ministério da Economia. A categoria considera que não há segurança sanitária para retornar e elabora, com o Governo Federal, um plano de volta.

O presidente do INSS, Leonardo Rolim, pediu paciência aos segurados que foram até as agências e não conseguiram atendimento. "As pessoas precisam ter um pouco de paciência", disse, em entrevista à Globo News.

Em Fortaleza, abriram as agências dos bairros Centro, Aldeota, Messejana, Parquelândia, Fortaleza-Sul (no bairro Água Fria) e a unidade de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza. O horário de atendimento é de 7h às 13h. O agendamento deve ser feito pela internet, no site do INSS

Sem trabalho, sem renda

A costureira Rosmilda Batista, 65 anos, agendou perícia pela internet e chegou à agência do Centro por volta de 7h, mas não pôde fazer o exame. Em janeiro, ela lesionou o braço e teve um desligamento dos tendões. Com dificuldade de movimentar o braço, Rosmilda busca o INSS para garantir a renda, já que não consegue mais costurar. 

"Então eu fiquei de janeiro, do final de janeiro até julho chorando de dor dia e noite. Tomei os remédios que os médicos passaram para tomar cinco dias, eu tomava a caixa inteira porque eu não suportava de dor", relata. 

foto
Legenda: O aposentado Jocilé Gomes agendou perícia médica para a agência da Messejana, mas não foi atendido
Foto: Aline Oliveira

Também com perícia agendada, o motorista Jocilé Gomes se deslocou até a agência da Messejana, e foi informado que os peritos não voltaram a atender. Ele fez um procedimento cirúrgico de hérnia há um mês e está afastado do trabalho.

"Há quase dois meses estou sem salário porque não consigo atendimento no INSS. É triste e humilhante. Vou voltar para casa. Esse é o Brasil", lamenta o motorista. 

O aposentado José Timóteo, de 79 anos, se deslocou de sua casa no Bairro Genibaú até a agência do Centro, mas não foi atendido, pois não havia feito agendamento. Ele conta que precisa fazer o exame de prova de vida, para que seu benefício não seja interrompido. "Não vou conseguir hoje. Ainda não. Tô com medo de ficar sem", relata Timóteo. 

A autônoma Yasmin Rebouças, também procurou o atendimento do INSS da Parquelândia para realizar a perícia médica. Ela conta que antes de se deslocar até uma das unidades, ligou e recebeu a informação de que os médicos peritos estariam lá, mas ao chegar descobriu que o atendimento ainda não retornou.

"Eu liguei antes de vir e disseram que tava atendendo, me disseram que os médicos peritos estavam aqui pra fazer a perícia. Cheguei aqui e nada, estão sem previsão de retorno. Eles só me pediram pra entrar de novo no aplicativo e requerer o benefício", comenta.

Legenda: A autônoma Yasmin Rebouças, foi mais uma das que buscou o serviço de perícia médica e voltou para casa sem atendimento
Foto: José Leomar

De acordo com a Associação Nacional dos Peritos Médicos, as vistorias realizadas nas agências do INSS constataram inconsistências, que comprometem o retorno dos peritos no contexto da pandemia de Covid-19.

A falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e problemas nas estruturais são apontados como os principais problemas. A ANMP informou que colabora com o governo para elaborar a logística de novas inspeções, conforme as pendências apontadas forem sanadas.

Quem está sofrendo com a falta de perícia há quase 3 meses é o vigilante noturno Manoel Vitor Pereira, ele procurou a agência da Aldeota nesta manhã e contou a reportagem que em maio sofreu um acidente de moto e desde então não conseguiu "nenhum tipo de auxílio". 

"Eu fiz o agendamento pela internet, cheguei aqui e não tem médico perito e não há nenhuma previsão, nada. Vou ver se entro com um advogado agora para conseguir alguma coisa, a situação está difícil para nós brasileiros, sofremos uma acidente e ficamos nessa situação aqui", desabafa.

Legenda: Há três meses, Manoel Victor procura o INSS para solicitar um auxílio, mas sem a perícia médica, ele irá recorrer aos advogados
Foto: José Leomar

Serviços do INSS pela internet

Novos pedidos de benefícios previdenciários ou assistenciais, alterar dados cadastrais, mudar forma ou local de pagamento, cadastrar ou alterar representante legal, ou ver extratos e consultas: solicitações e inclusão dos documentos correspondentes, escaneados ou fotografados, pela página www.meu.inss.gov.br, ou o aplicativo para celular “Meu INSS”, ou ainda o telefone 135.

Perícias Médicas: acompanhe o status do pedido pelo Meu INSS ou pela Central Telefônica 135. Na situação “concluído”, deve ser acessada a carta de concessão com o resultado e o extrato de pagamento com os detalhes. Se “pendente” deve aguardar análise, e em “exigência” devem ser anexados os documentos pedidos. A antecipação do pagamento de 1 salário-mínimo do auxílio-doença, até 31 de outubro, será liberado a partir da análise do atestado (legível, com carimbo e CRM, código da doença e tempo de afastamento, de no máximo 60 dias).

Prorrogação do auxílio-doença: Será automática, enquanto durar o fechamento das agências, ou limitado a 6 pedidos. Confira a data de cessação no Meu INSS, e se for o caso agende Prorrogação com o anexo de novos atestados. Se passar da data de cessação, utilize os atestados para solicitar perícia do tipo “inicial”.

Antecipação de R$ 600,00 para requerentes que aguardam análise de BPC (Benefício Assistencial ao Deficiente), até 31 de outubro: confira no Meu INSS se a antecipação foi liberada. Os critérios são constar como deficiente no Cadastro Único do Governo Federal, ter renda familiar abaixo de ¼ do salário-mínimo por pessoa e estar com pedido pendente no INSS;
 
Atendimento por telefone: a central telefônica 135 funciona de segunda a sábado, de 7h às 22h. É gratuito se for de telefone fixo, ou o custo de uma chamada local se for de celular. O número oficial de WhatsApp do INSS é (61) 9638-8396.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios

Assuntos Relacionados