Veja famosos que já sofreram com uso de cigarro eletrônico; entenda riscos

Dentre os riscos com os dispositivos, estão quadros de convulsão, diminuição da função pulmonar e até óbito

Escrito por Redação,

Zoeira
Zé Neto, Solange Almeida, Doja Cat
Legenda: Diversos famosos já sofreram as consequências do uso do vape
Foto: Reprodução Instagram / Divulgação / Reprodução Instagram

O uso de cigarro eletrônico, também conhecido como 'vape', tem gerado cada vez mais problemas de saúde e casos de internações, inclusive entre os famosos. No caso mais recente, no sábado (25), o modelo e influenciador Lucas Viana, 31, precisou ser socorrido às pressas por uma ambulância após sentir falta de ar, causada pelo uso do dispositivo. 

“Acabei de sair do pronto-socorro. Estava na festa e, de repente, me faltou ar de um jeito surreal. Não vinha nada, parecia que estava entupido de saliva. A gente nunca acha que vai acontecer com a gente. Hoje aconteceu comigo, mas amanhã pode acontecer com você. Isso aqui, a partir de hoje, não vai mais fazer parte da minha vida. Fica o alerta, o negócio é sério", disse ele, na ocasião. 

Além do campeão de “A Fazenda 11”, a lista de famosos e celebridades que já sofreram os malefícios da prática conta com vários nomes. Em abril deste ano, a cantora Solange Almeida desabafou sobre os problemas causados em sua carreira pelo uso do vape. Ela se tornou dependendo do produto no começo da pandemia de Covid-19 e disse ter perdido a capacidade de cantar como antes. 

Atualmente, faz fisioterapia para recuperar a voz. "É um começo da nova Solange, depois desse uso indevido do cigarro eletrônico, que quase culminou na perda total da minha voz e do meu emocional por inteiro. Me tirou do chão, de verdade", disse.

Zé Neto fez alerta

Já em dezembro de 2021, o cantor Zé Neto usou o Instagram para falar sobre o próprio estado de saúde. Na publicação, o sertanejo falou do problema pulmonar que ele passava e do tratamento. Na gravação, ele ainda alertou os fãs para não consumirem cigarros eletrônicos

"Está tudo bem. Realmente, passei por um problema sério no pulmão devido ao cigarro, esse vape, inclusive, dou o alerta para quem mexe com essa bosta pare com isso. É um cigarro como qualquer outro e faz mal do mesmo jeito e até mais", descreveu. 

Na época, precisou realizar tratamento ao que foi identificado pelos médicos como "foco de vidro". O sertanejo começou a apresentar dificuldade para cantar por conta da respiração afetada.

Doja Cat, estrela do pop norte-americano, também sofreu com o uso do cigarro eletrônico. Em maio deste ano, ela teve que cancelar sua turnê de shows após ser submetida a uma cirurgia às pressas nas amígdalas por uso do dispositivo. Segundo a cantora, o “veneno presente no vape” penetrou em sua garganta, o que provocou uma ferida aberta.

Segundo dados colhidos pela Coordenação de Prevenção e Vigilância do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), que analisou diversos estudos, quando estes dispositivos possuem nicotina, a necessidade constante de utilizá-lo pode ser sempre maior.

Entenda os riscos

A médica epidemiologista Liz Almeida, coordenadora de Prevenção e Vigilância do Inca, contou, em entrevista à Agência Brasil em maio do ano passado, que os cigarros eletrônicos eram vistos inicialmente como forma de sair do vício. Entretanto, logo se mostraram prejudiciais nesse aspecto.

"A indústria passou a investir de forma muito tensa em fazer novos usuários. A maior adesão que esse produto teve em todo o mundo foram os jovens que nunca tinham fumado", pontuou.

Legenda: Líquidos são colocados dentro dos vaporizadores para o funcionamento
Foto: Shutterstock

Nesse sentido, explicam os especialistas, o contato com o cigarro eletrônico pode acabar servindo como incentivo ao uso do cigarro comum

Ao todo, o Inca analisou 22 estudos de diferentes países sobre o tema, que incluíram um total de 97.659 participantes que já fizeram uso do dispositivo. 

Perigos 

Mas não é só a nicotina que influencia no uso de cigarros desse tipo. Mesmo as opções zeradas dessa substância ainda podem representar perigos diversos à saúde do usuário. 

Conforme o otorrinolaringologista Paulo Manzano, que concedeu entrevista ao Diário do Nordeste em novembro de 2021, os metais pesados como chumbo, níquel e cádmio, que estão inclusos na composição dos vaporizadores, são nocivos aos seres humanos. 

Além disso, o próprio vapor gerado pelo objeto pode ser responsável por desenvolver uma inflamação pulmonar, ainda que quando exista a presença de nicotina o risco seja maior.

Veja alguns possíveis danos do uso do cigarro eletrônico:

  • náusea,
  • vomito,
  • queimaduras,
  • irritação do trato respiratório superior,
  • tosse seca,
  • ressecamento ocular,
  • decréscimo da exalação de óxido nítrico sintetizado nos pulmões,
  • alterações brônquicas,
  • risco de câncer de pulmão.

Assuntos Relacionados