200 cestas básicas serão doadas por Centro de Nutrição a moradores do Conjunto Palmeiras

Em parceria com Supera Fortaleza, primeira metade será distribuída até sexta-feira (25), focando principalmente em catadores de materiais reciclados e mães solteiras

Legenda: Pelo menos 163 cestas básicas foram entregues para moradores, durante a pandemia, pelo Centro de Nutrição do Conjunto Palmeiras (CNCP)
Foto: Centro de Nutrição do Conjunto Palmeiras

Em meio às mudanças trazidas pela pandemia, o Centro de Nutrição do Conjunto Palmeiras (CNCP) precisou readaptar suas atividades para poder acolher as demandas urgentes que surgiram neste cenário. Antes responsável por realizar ações lúdicas com crianças e rodas de conversa com mulheres, a instituição passou a informar sobre o coronavírus e organizar doações de alimentos para reduzir os impactos da fome na comunidade. Em mais uma iniciativa, 200 cestas básicas serão doadas até o fim de outubro. 

A ação ocorre em parceria com a campanha Supera Fortaleza, devendo beneficiar principalmente catadores de materiais reciclados, mães solo e moradores que não foram beneficiados por nenhum tipo de auxílio durante a pandemia. Na primeira etapa de distribuição, 100 cestas básicas serão doadas até sexta-feira (25).

O restante só será entregue após a estipulação de uma nova data, mas deve ser entregue até o fim de outubro, conforme explica a  a presidente do Centro de Nutrição, Katiana Oliveira. “Tem muita gente que não recebeu nenhum tipo de auxílio. O foco são essas pessoas e os carroceiros, que retiram o resíduo sólido e entregam nos ecopontos, porque são demandas que aparecem para a gente”, explica.

Durante a pandemia, o CNCP entregou pelo menos 163 cestas básicas, sendo 25 em parceria com o Transforma Brasil, 80 do Instituto de Primeira Infância (Iprede), e 58 compradas com o dinheiro arrecadado por uma vaquinha online. Além disso, em parceria com o Iprede, também distribuiu 400 refeições diárias em três pontos do bairro entre os meses de abril e maio, por cerca de 50 dias. 

“Foi uma ajuda muito grande, porque muitas pessoas não receberam nenhum tipo de auxílio aqui no bairro. Temos pessoas aqui que nem registro tem”, finaliza. 

Iniciativas

Antes da pandemia, o Centro de Nutrição funcionava a partir de duas frentes principais: uma para mulheres, realizando debates sobre temas como violência doméstica, autoestima e empoderamento feminino, e outras para crianças, com atividades lúdicas como cinema e colônia de férias. 

“As ações ocorrem todas com parceria, com amigos, com funcionários do palmas e da associação parceiros. Todo trabalho é voluntário. Temos que estar correndo atrás do material que vai ser usado, doações também”, explica Katiana. 

Além disso, também são responsáveis por informar a população acerca dos equipamentos presentes no bairro, referentes à saúde, educação, economia e assistência. “Quando perguntam o que a gente não sabe, anotamos o nome e telefone, procuramos saber e já retornamos dizendo”, completa.

Quero receber conteúdos exclusivos do Dias Melhores