Com quase 300 internações neste ano, Covid em crianças gera alerta no CE; veja onde se vacinar

Sete a cada dez pequenos de até 4 anos sequer iniciaram o esquema de vacinação no Estado

Escrito por Theyse Viana , theyse.viana@svm.com.br
Bebês e crianças não vacinados estão suscetíveis a formas graves da Covid
Legenda: Bebês e crianças não vacinados estão suscetíveis a formas graves da Covid
Foto: Shutterstock

Com o sistema de defesa do organismo ainda imaturo e baixa adesão à vacinação, as crianças passaram a ser uma das grandes preocupações em relação à Covid-19. No Ceará, neste ano, 346 pequenos de até 9 anos testaram positivo e 290 meninos e meninas foram hospitalizados por complicações da doença.

O adoecimento prevalece entre bebês e crianças pequenas, de até 4 anos: até novembro, 269 dos casos (77,8%) foram diagnosticados nessas idades. É a faixa etária, aliás, em que apenas 32% iniciaram a vacinação contra a Covid e só 5% concluíram com as 3 doses.

Os dados são da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), atualizados até 30 de novembro e enviados à reportagem na última quinta-feira (7).

Veja também

O pico de internações de crianças e adolescentes por Covid no Ceará aconteceu em abril, mês em que, durante uma semana (dias 9 a 15), 32 meninos e meninas ocuparam leitos de hospitais para tratar a virose.

De julho ao início de novembro, as internações reduziram, mas em novembro voltaram a crescer. Na semana entre 19 e 25 do mês passado, 10 bebês, crianças e adolescentes foram internados com Covid, segundo a Sesa, mais que o dobro da semana anterior.

Por que crianças preocupam

O aumento do número de casos de Covid entre crianças, “com famílias inteiras positivando”, é o alerta claro para os pais que ainda não levaram os filhos para vacinação – e que, eles mesmos, ainda não se vacinaram, como pontua a pediatra Vanuza Chagas.

“Nas crianças, o quadro geralmente tem sintomas respiratórios, com obstrução nasal, tosse, coriza, podendo evoluir inclusive para quadros mais intensos de desconforto respiratório, recusa alimentar importante, vômitos e sintomas gastrointestinais”, traça a médica. 

Sempre precisamos estar atentos para um quadro muito amplo, principalmente na faixa etária pediátrica. Os menores de 5 anos, que têm alto número de não vacinados, são justamente as crianças são mais afetadas e passíveis de complicação.
Vanuza Chagas
Médica pediatra

A médica explica que um dos principais motivos que levam os pequenos à internação é a evolução da Covid para uma Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), que, segundo ela, já atingiu cerca de 3 mil crianças menores de 1 ano no Brasil – e levou 100 à morte.

“É uma faixa etária que está em grande risco de complicação, pelo próprio sistema imunológico que não está completamente desenvolvido e não consegue responder de forma efetiva. Isso pode gerar complicações inclusive posteriormente, com a síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica, que já vimos em outros momentos, levando crianças a UTIs”, frisa.

Vanuza reforça, ainda, que a imunização é a principal estratégia para proteger as crianças.

“O que nos preocupa mais e entristece enquanto profissionais de saúde, principalmente pediatra, é que essa situação pode ser evitada entre as crianças com a vacinação. É importante que os pais se conscientizem, levem os filhos pra vacinar, se protejam e evitem internações, casos graves e sequelas definitivas que a Covid deixa.”

Quem deve ser imunizado

Cearenses que já tomaram, pelo menos, as duas primeiras doses da vacina monovalente contra a Covid podem completar o esquema com a bivalente. O mesmo vale para quem tomou somente até a 4ª dose. O requisito é haver intervalo de 4 meses desde a 2ª dose.

Quem só tomou uma dose ou não tomou nenhuma ainda deve completar o esquema básico (D1 + D2) para ser apto a tomar a bivalente. Em Fortaleza, por exemplo, apenas 20% das pessoas aptas já garantiram o imunizante mais atualizado.

Quem já tomou a vacina bivalente não precisa, por enquanto, tomar nenhuma dose a mais.

Confira, abaixo, o quem deve se vacinar contra a Covid:

  • 1ª dose: pessoas a partir de 6 meses de idade;

  • 2ª dose: pessoas a partir de 6 meses de idade, respeitando intervalo da 1ª dose;

  • 3ª dose: pessoas a partir de 6 meses, crianças de 3 e 4 anos que receberam Coronavac nas 2 primeiras doses e pessoas acima de 12 anos que já receberam a 2ª dose há 4 meses.

  • 4ª dose: pessoas acima de 18 anos que receberam a 3ª dose há 4 meses;

  • Bivalente: população maior de 18 anos que tenha sido vacinada, pelo menos, com a 1ª e a 2ª dose contra a Covid; além de pessoas a partir dos 12 anos imunossuprimidas ou que tenham comorbidades.

Onde tomar vacina da Covid

Os imunizantes contra o coronavírus estão disponíveis nos postos de saúde de todo o Estado. A população deve, então, procurar essas unidades básicas (UBS) para aplicação. Em Fortaleza, por exemplo, são 118 equipamentos.

Já em todo o Estado são, atualmente, 2.126 UBS em funcionamento, de acordo com a Sala de Apoio à Gestão Estratégica do Ministério da Saúde (Sage). Nesta página é possível pesquisar os nomes e endereços por município.

 
Os destaques das últimas 24h resumidos em até 8 minutos de leitura.