Novas tecnologias auxiliam no rejuvenescimento facial e corporal

A fisioterapeuta dermatofuncional Aline Teixeira fala sobre as novidades em princípios ativos e tecnologias utilizadas na área da estética

Escrito por Zilda Queiroz, zilda.queiroz@diariodonordeste.com.br

Verso

O avanço no âmbito da estética amplia o leque de possibilidades tanto para quem já possui experiência na área, quanto os recém-formados que chegam ao mercado de trabalho encantados com os aparatos tecnológicos e cosméticos de qualidade. Outra vantagem é a lei de 3 abril de 2018 que regulamenta a profissão de esteticista.

Na visão da fisioterapeuta dermatofuncional Aline Teixeira, professora do curso de Estética e Cosmética da Universidade de Fortaleza - Unifor, o reconhecimento é uma conquista da categoria.

Outro estímulo para os futuros profissionais são os modernos recursos capazes de potencializar o conhecimento teórico adquirido ao longo do curso, a exemplo da radiofrequência. "Por sua versatilidade, a tecnologia é uma inovação bastante utilizada nos tratamentos estéticos faciais e corporais".

Nos protocolos de rosto, o equipamento é requisitado para o tratamento da flacidez tissular, promovendo estímulo na produção de colágeno e elastina.

Além de todo o rosto, a radiofrequência trata a papada e região do pescoço promovendo um up no levantamento da pele como um todo. De acordo com a especialista, o que diferencia os tratamentos de flacidez e gordura são as manoplas específicas para cada caso.

A monopola atinge a camada adiposa mais profunda. Por isso, ela é indicada na eliminação de gordura. Já na redução da flacidez tissular, conhecida como flacidez de pele, é utilizada a manopla bipolar. Essa é mais superficial e fica a nível de epiderme e derme.

Alcance

Os peelings com ativos de alta tecnologia são complementos importantes na realização dos procedimentos faciais. "No âmbito da universidade, os alunos têm a oportunidade de experimentar, na prática, a eficácia dos mais diversos produtos", diz Aline.

Legenda: Aluna do curso de Estética e Cosmética, Germana Lima, já domina as técnicas e o manuseio dos equipamentos disponíveis
Foto: Helene Santos

Depois da radiofrequência, a aplicação de vitamina C, dos ácidos glicólicos, salicílicos e retinoicos são recomendados. "Para finalizar, uma máscara antioxidante e altamente hidratante ajuda no processo de reprodução do colágeno e revitalização d a pele".

O cosmético deve permanecer na pele por 20 minutos. Após a retirada dos ativos é essencial colocar o protetor solar. "Após o procedimento é notório a maciez e renovação da pele".

Apesar de ser o carro-chefe nos tratamentos de gordura e na devolução da elasticidade tecidual, a radiofrequência quando associada a cosméticos com princípios ativos de alta potência, a exemplo dos lipolíticos, também é eficaz na redução da celulite.

Além disso, os benefícios da radiofrequência podem ser potencializados com a junção de outros equipamentos da eletroterapia, a exemplo do ultrassom, manta térmica, lasers e lads.

Nos casos de gorduras mais compactas, a radiofrequência pode ser associada à ultracavitação, um ultrassom de alta potência, capaz de romper a membrana de adipócitos. "Quando ocorre a quebra das moléculas fica mais fácil trabalhar na eliminação dessa gordura, principalmente quando o tratamento é associado à prática de atividade física".

A radiofrequência é um equipamento com temperatura dependente. Nos tratamentos de gordura é necessário atingir altos temperaturas, em torno de 40ºC. A 42°C. Dessa maneira, a energia transmitida adentra nos tecidos e promove o processo de lipólise.

No caso da flacidez, as temperaturas utilizadas são as mesmas, porém, com o efeito de ativar as proteínas do choque térmico, a HSP 47. "Elas são responsáveis por induzir o processo de reprodução de colágeno para dar sustentação e firmeza à pele", completa.