10 locais sobre o Padre Cícero em Juazeiro do Norte

Neste sábado (20-07), completam-se 85 anos da morte do "santo popular" e fundador da maior cidade do Cariri, onde o visitante pode programar um roteiro de visitas especial sobre a vida do sacerdote

Legenda: Padre Cícero é símbolo da religiosidade em Juazeiro do Norte
Foto: FOTO:ROZELIA COSTA

Nascido em 24 de março de 1844 (ou no dia 23, divergem os historiadores), em Crato, Cícero Romão Batista foi, talvez, o mais importante sacerdote católico do Brasil. É por causa dele que, anualmente, estima-se que 2,5 milhões de romeiros visitam Juazeiro do Norte, município que ele mesmo fundou. O chamado “Milagre da Hóstia”, protagonizado pela beata Maria de Araújo, impulsionou seu trabalho missionário que já havia começado 18 anos antes do fenômeno, na fazenda Tabuleiro Grande, de onde surgiu a maior cidade do interior do Ceará.

A figura do Padre Cícero, e não poderia ser diferente, está presente em toda cidade. Todas as lojas, até mesmo as multinacionais, se adaptam a uma tradição: colocar a estátua do santo popular na porta. Porém, numa caminhada pela cidade, ainda encontra-se presente edificações marcantes de sua gestão como prefeito de Juazeiro do Norte, como a antiga estação ferroviária, ou ainda instituições criadas a partir da estimulação do pároco, como a Escola Normal Rural (hoje escola profissionalizante) e o Orfanato Jesus Maria José. A chegada da Ordem Salesiana, que construiu outras edificações, também é responsabilidade do “padim”. 

Para o romeiro, Juazeiro do Norte é uma “terra santa” e, por isso, mesmo 85 anos após a sua morte, retornam à cidade e fazem “o caminho que o Padre Cícero percorreu”, acredita padre Cícero José da Silva, pároco da Basílica de Nossa Senhora das Dores. Este caminho é pautado pela santificação dos locais onde o patriarca da cidade pisou, mas também pela transformação que o território juazeirense sofreu pautado pela fé. “O romeiro não fica em um só espaço. Ele percorre toda cidade”, completa. 

Como nascido e criado em Juazeiro do Norte, listei abaixo alguns lugares marcantes sobre o Padre Cícero e outros não muito populares, mas que homenageiam e contam um pouco da história do “patriarca do Nordeste”. Boa parte do trajeto pode ser feito a pé, pois, em sua maioria, ficam muito próximas umas das outras, no Centro da cidade.

 Estátua do Padre Cícero

Legenda: A estátua é um dos principais pontos turísticos do Cariri
Foto: FOTO: ANTONIO RODRIGUES

“Olha lá, no alto do Horto, ele está vivo, padre não está morto”, canta Luiz Gonzaga. A estátua do Padre Cícero foi inaugurada em 1º de novembro de 1969, com 27 metros de altura, a partir de uma demanda popular. O prefeito Mauro Sampaio destruiu o popular “pé de tambor” - o pé de Timbaúba - para construir uma antena de televisão, e isso gerou muita comoção na cidade, pois, a árvore trazia muitas simbologias. Para os moradores, lá era o local de refúgio e meditação do Padre Cícero. Com ideia de impulsionar o turismo, o mesmo gestor ergueu o monumento que hoje é cartão-postal da cidade.

Horário de visitação: todos os dias, de 4h às 21h. 
Endereço: Av. Padre Jezú Flor - Horto, Juazeiro do Norte - CE
Acesso: gratuito 
 
Estátua de Agostinho Balmes Odísio

Legenda: Estátua em tamanho real do Padre Cícero
Foto: FOTO: ANTONIO RODRIGUES

Antes da inauguração do monumento na Colina do Horto, foi a estátua, em tamanho real do Padre Cícero, feita pelo escultor italiano Agostinho Balmes Odísio, no Largo da Capela do Socorro, que atraía as maiores atenções de romeiros que visitavam Juazeiro do Norte. Colorida e muito semelhante ao sacerdote, ela impressionava os devotos. “Ela foi por muito tempo, e ainda é, alvo de muitas devoções”, conta a professora e historiadora Amanda Teixeira. Ainda hoje não se sabe quem encomendou e quando foi inaugurada, mas isso aconteceu entre 1934 e 1940.

Horário de visitação: todos os dias, de 4h às 21h. 
Endereço: Av. Padre Jezú Flor - Horto, Juazeiro do Norte - CE
Acesso: gratuito 

Estátua de bronze

Legenda: Essa versão do Padre refere-se a sua carreira política
Foto: FOTO: ANTONIO RODRIGUES

Ao contrário das duas primeiras, uma estátua feita de bronze do Padre Cícero, inaugurada em 1925, erguida no centro da praça Almirante Alexandrino - atual Padre Cícero, chega a passar despercebida pelos romeiros. A obra foi encomendada pelo amigo do sacerdote, o médico e político Floro Bartolomeu, para destruir os discursos de cidade atrasada e fanática que os jornais traziam sobre Juazeiro do Norte. Um marco cívico, símbolo do progresso. A escultura não traz o “santo popular”, mas o “homem político”, com o “padim” vestido com uma toga romana, debaixo do sol, sem proteção.
 
Horário de visitação: todos os dias, de 4h às 21h. 
Endereço: Av. Padre Jezú Flor - Horto, Juazeiro do Norte - CE
Acesso: gratuito 

Basílica Menor de Nossa Senhora das Dores

Legenda: Lugar onde aconteceu o "Milagre da Hóstia"
Foto: FOTO: ANTONIO RODRIGUES

Foi ainda como Capela de Nossa Senhora das Dores que, em 1889, durante a celebração de uma missa ministrada pelo Padre Cícero, que a beata Maria de Araújo, transformou a hóstia em sangue na sua boca, fato que aconteceu outras inúmeras vezes mesmo com outros párocos. Além deste marco, foi nos pés deste templo religioso que Juazeiro do Norte cresceu e se tornou a cidade que é hoje. Um dos momentos mais emocionantes das romarias acontece por lá: a tradicional Missa do Chapéu, que marca a despedida dos romeiros.
 
Horário de visitação: as missas acontecem de segunda a sábado às 6h, 9h e 19h e aos domingos às 5h, 9h, 16h e 19h 
Endereço: Rua Padre Cícero, 147 - Centro, Juazeiro do Norte
Acesso: gratuito

Santo Sepulcro

Legenda: Local onde está enterrado um dos beatos de Padre Cícero
Foto: FOTO: VIAJE NA CHAPADA

Tido como um dos locais de refúgio do “padim”, o Santo Sepulcro fica na Colina do Horto, a cerca de quatro quilômetros de trilha da Estátua do Padre Cícero. Com formação de grandes pedras, cruzeiros e estacas de madeira, o lugar se tornou um espaço de devoção popular. Tudo começou com os beatos do próprio Padre Cícero e foi impulsionado após a morte de um deles, o beato Manoel João, em 1925. Lá, há várias capelinhas onde os fiéis costumam deixar os chamados “ex-votos”. Alguns se desafiam a passar entre grandes rochas para se “purificar dos pecados”.
 
Horário de visitação: todos os dias, de 4h às 21h. 
Endereço: Av. Padre Jezú Flor - Horto, Juazeiro do Norte - CE
Acesso: gratuito

Túmulo do Padre Cícero

Legenda: O túmulo do Padre ainda atrai muitos fiéis, principalmente no dia de Finados
Foto: FOTO: ANTONIO RODRIGUES

Dentro da Capela do Socorro está enterrado o fundador de Juazeiro do Norte. Ao longo do ano, milhares de fiéis visitam o espaço e se emocionam. Só no dia de Finados, 2 de novembro - período que acontece a maior romaria do calendário religioso do Município - estima-se que 100 mil pessoas visitam o jazigo. Lá, muitos fiéis colocam flores, medalhas e ex-votos. Outros realizam um costume comum de tocar o túmulo com objetos que são “abençoados” pelo Padre Cícero, como carteiras, água e bolsas.
 
Horário de visitação: todos os dias de 6h às 18h
Endereço: R. Santa Luzia - Socorro, Juazeiro do Norte - CE
Acesso: gratuito 

Casa Museu do Padre Cícero

Legenda: A casa, que hoje é um museu, guarda pertences pessoais do Padre Cícero
Foto: FOTO: ANTONIO RODRIGUES

Localizada na Rua São José, 242, no Centro de Juazeiro do Norte, a casa que hoje é museu foi o último local de morada do sacerdote, onde também faleceu. No lugar, encontram-se peças de uso pessoal do Padre Cícero, louças, e também móveis como cama, guarda-roupas e armários que pertenceram ao “padim”. Ainda, é claro, é alvo de devoção, com a entrega dos chamados ex-votos. O prédio está muito bem conservado.
 
Horário de visitação: segunda a sábado de 8h às 11h e de 13h às 17h, no domingo de 8h às 11h
Endereço: Rua São José, 242 - Salgadinho, Juazeiro do Norte - CE
Acesso: gratuito 

Fundação Memorial Padre Cícero

Legenda: Além de pertences pessoais, também estão na Fundação objetos históricos da cidade
Foto: FOTO: ANTONIO RODRIGUES

Inaugurado em 1988, o Memorial Padre Cícero, erguido no largo da Capela do Socorro, é um espaço que também possui vários objetos de uso pessoal do Padre Cícero, como vestimentas e louças, além de fotografias e algumas obras de arte de sua época. No seu museu também está o canhão capturado pelos jagunços no episódio que ficou conhecido como a “Sedição de Juazeiro”, quando os juazeirenses enfrentaram - e venceram - as forças do Estado, depondo o governador Franco Rabelo. Na biblioteca, também há uma vasta bibliografia sobre o sacerdote e reúne coisas raras como cartas escritas pelo próprio fundador de Juazeiro do Norte.

Horário de visitação: segunda a sexta de 8h às 17h, sábado e domingo de 8h às 16h45 
Endereço: Praça do Cinquentenário, s/n - Centro, Juazeiro do Norte - CE
Acesso: gratuito

Museu Vivo de Padre Cícero

Legenda: O museu possui estátuas em tamanho real que encenam hábitos do Padre Cícero
Foto: FOTO: ANTONIO RODRIGUES

Inaugurado em 1º de novembro de 1999, no antigo Casarão do Horto, local onde o sacerdote se abrigava nos seus retiros espirituais na Colina do Horto, que na época era chamada de “Serra do Catolé”. O espaço, vizinho à Estátua do Padre Cícero, possui cinco ambientações com personagens em tamanho real criados a partir de resina de poliéster. Há cenários com o “padim” tomando café da manhã com amigos, em uma capela com a beata Maria de Araújo, orando e descansando em uma rede. Contudo, no seu percurso há vários ex-votos depositados por fiéis que conseguiram alcançar alguma “graça”.

Horário de visitação: segunda a sexta de 8h às 18h 
Endereço: Praça do Cinquentenário, s/n - Centro, Juazeiro do Norte - CE
Acesso: gratuito

Casa dos Milagres

Legenda: O local foi destinado para receber objetos de fé dos romeiros
Foto: FOTO: ANTONIO RODRIGUES

Antes da inauguração do Museu Vivo do Padre Cícero, a Casa dos Milagres, criada dois anos após a morte do santo popular, era o principal destino de ex-votos. Com o falecimento do fundador de Juazeiro do Norte, aumentou a quantidade de promessas e graças alcançadas no Município. Por isso, não havia um local adequado para o depósito, já que a Diocese não permitia a veneração do “padim”, que teve suas ordens suspensas após o “Milagre da Hóstia”. Os romeiros ignoravam. Foi quando o imóvel, na Travessa Maria Gonçalves, no largo da Capela do Socorro, foi destinado para receber os objetos de fé dos romeiros. Em agosto de 2013, um incêndio consumiu boa parte de seu acervo, mas o local, considerado místico, foi reaberto em outubro do mesmo ano.

Horário de visitação: segunda a sexta de 8h às 17h 
Endereço: Praça do Socorro, 159 - Juazeiro do Norte - CE
Acesso: gratuito


Categorias Relacionadas