Castanha-de-caju: veja os benefícios e propriedades

O alimento pode ser um aliado na dieta de quem deseja prevenir doenças crônicas, além de mais qualidade de vida

Castanha-de-caju
Legenda: A oleaginosa é fruto do cajueiro, planta da família Anacardiaceae originária da Região Nordeste do Brasil
Foto: Shutterstock

A castanha-de-caju é uma oleaginosa rica em gorduras monoinsaturadas, conhecidas como gorduras “boas” para o organismo. O fruto do cajueiro pode ser um aliado na dieta de indivíduos que procuram prevenir doenças crônicas não transmissíveis e mais qualidade de vida.

O alimento, rico em nutrientes, pode funcionar inclusive como um aliado contra o envelhecimento precoce, anemia, além de melhorar a saúde da pele, das unhas e do cabelo.  

A castanha pode ser encontrada em diversos formatos no mercado, a granel ou em porções. O mais comum é o fruto natural, mas também é possível achá-lo torrado, com ou sem sal, caramelizado, etc. Pela versatilidade e sabor neutro, ele também é usado para o preparo de derivados, como bebidas vegetais, farinha e pasta.   

Apesar dos inúmeros benefícios, o consumo da oleaginosa também necessita de alguns cuidados, como com a toxicidade e a possibilidade de contribuição para ganho de peso.  

Propriedades da castanha-de-caju 

O fruto do cajueiro, planta da  família Anacardiaceae originária da Região Nordeste do Brasil, é rico em vitaminas importantes para o funcionamento saudável do organismo. Segundo a nutricionista Jamile Tahim, o alimento é rico em nutrientes que contribuem positivamente para a saúde do consumidor.   

"Sua composição lhe confere uma importante capacidade antioxidante, além de ser um alimento altamente energético", afirma a profissional. 

A propriedade antioxidante auxilia no combate aos radicais livres — moléculas altamente instáveis, que quando em excesso no organismo, podem provocar a oxidação de células saudáveis —, associados ao desenvolvimento de patologias crônicas, como alguns tipos de câncer e Parkison.

Nutrientes da castanha-de-caju

"A castanha de caju tem elevado valor nutricional, pois é uma oleaginosa fonte de aminoácidos, carboidratos, gorduras — ácido oleico, linoleico e linolênico — vitaminas do complexo B, vitamina A e E, zinco, magnésio, fósforo, ferro, cobre, selênio e potássio", lista Tahim.   

A especialista ainda destaca que além do elevado valor nutricional e compostos bioativos, a castanha-de-caju é "muito versátil", possibilitando a introdução na dieta de diversas formas. 

"Ela pode ser incluída na alimentação por meio de lanches intermediários, saladas de vegetais e frutas, receitas de vitaminas e bolinhos nutritivos. A castanha-de-caju ainda pode dar origem a outros produtos nutritivos como bebida vegetal, farinha e pasta", detalha. 

Quais os benefícios? 

Castanha-de-caju
Legenda: O alimento pode ser usado para a preparação de bebidas vegetais, farinhas, pastas, bolos e manteigas
Foto: Shuttorstock

A castanha-de-caju contribui para a prevenção de doença crônicas não transmissíveis e para o bom funcionamento do organismo. A nutricionista lista quais os principais benefícios do alimento citados na literatura.

  • Doenças do coração e dislipidemias: o consumo adequado de castanha de caju exerce papel cardioprotetor, melhorando o perfil lipídico pela presença de gorduras mono e poli-insaturadas, diminuindo o risco das patologias;
  • Prevenção do envelhecimento precoce e saúde da pele e dos cabelos, por sua ação antioxidante (contra radicais livres) e presença de vitamina A e E;
  • Controle glicêmico: o consumo regular contribui para modular a quantidade de açúcar no sangue, o que pode auxiliar na prevenção e tratamento de doenças como a diabetes;
  • Sensação de saciedade: devido ao elevado valor energético e nutricional, a castanha-de-caju contribui para aumentam o sentimento de saciedade, o que pode auxiliar no controlo do peso. 
  • Funcionamento intestinal: por ser uma importante fonte de fibras, o alimento melhora o trânsito intestinal;
  • Sistema imunológico: fortalece as defesas naturais do organismo através de vitaminas e minerais com efeito antioxidante e imunomodulador como vitamina E, selênio e zinco;
  • Tratamento de enxaquecas e prevenção da depressão: o alimento tem um papel coadjuvante na prevenção da dor de cabeça e da condição do transtorno devido à presença de vitaminas do complexo B, zinco, selênio e magnésio que são fundamentais ao bom funcionamento do sistema nervoso central e cofatores de neurotransmissores. 

No entanto, Tahim faz um alerta: "é fundamental ressaltar que as ações terapêuticas do consumo da castanha de caju são notadas quando inseridas em um hábito alimentar equilibrado, variado e saudável".

Incluir o fruto na alimentação, assim como outras oleaginosas, representa uma das ações "importantes para a prevenção de doenças crônicas não transmissíveis, pelo aumento da capacidade antioxidante da dieta por meio do consumo de fontes de compostos bioativos", afirma a nutricionista. 

Quanto se pode comer por dia?

Conforme a especialista, a quantidade indicada para o consumo da castanha-de-caju "deve respeitar a necessidade individual e ser orientada pelo nutricionista". No entanto, Tahim indica que o padrão é equivalente a oito unidades do fruto ao dia.

"Considerando uma dieta para população saudável de 2.000 kcal, pode-se considerar uma porção média de 20g por dia, que equivale a oito unidades", afirma.

Qual o mais saudável: castanha-do-pará ou de caju?  

Castanha-do-pará
Legenda: Assim como o fruto do cajueiro, a castanha-do-pará também é rica em nutrientes benéficos
Foto: Shuttertocks

Saber qual das oleaginosas oferece mais benefícios ao organismo é uma dúvida comum. Mas, como esclarece a nutricionista, mesmo a castanha-de-caju e a castanha-do-pará possuindo composições diferentes, ambas são fontes de compostos bioativos "fundamentais" ao bom funcionamento do organismo. 

"Não existe relação de que uma pode ser melhor que a outra, cada uma tem suas propriedades funcionais e pode ser inserida na alimentação de forma saudável, é fundamental atentar para a porção, ou seja, a quantidade ingerida de acordo com a necessidade", explica. 

Engorda?  

Apesar do rico valor nutricional, o fruto deve ser consumido com moderação e respeitando a necessidade individual, pois, segundo a profissional, o excesso é prejudicial, não apenas pelas calorias, mas pela composição química do alimento. 

"O alimento pode favorecer o ganho de peso dentro de uma rotina alimentar que exceda a necessidade do indivíduo, ou seja, se a pessoa consume uma quantidade de calorias maior do que o seu gasto energético total, a dieta favorece o aumento do peso, por isso a importância de uma acompanhamento nutricional para orientar o consumo alimentar, respeitando a individualidade e os objetivos de saúde e estética", esclarece Tahim.

Calorias 

Segundo a nutricionista 20g de castanha, equivalente a uma porção média de oito unidades, contém cerca de 3.6g de proteína, 8.8g de lipídios (gorduras) sendo 4.8 ácidos graxos monoinsaturados, 6.0 de carboidrato e 116Kcal.    

Jamile Tahim é nutricionista, graduada em Nutrição pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR), mestranda em Nutrição em Saúde pela Universidade Estadual do Ceará (Uece), especialista em Nutrição Clínica e Fitoterapia Aplicada, além de especialista em Nutrição em Nefrologia.