Graviola: benefícios, nutrientes e como fazer o suco

A graviola possui propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e pode ser consumida também por meio do chá da folha

Uma graviola cortada e uma inteira ao lado de um copo de suco em cima de uma mesa
Legenda: O consumo da graviola é benéfico para evitar a proliferação de células cancerígenas
Foto: Shutterstock

Fruta tropical nativa de áreas quentes do continente americano e muito comum no Brasil, especialmente na Bahia, a graviola (fruto da planta Annona Muricata L.) traz mais do que apenas uma possibilidade de suco na mesa do almoço. O consumo pode ser natural e também na forma de chás, sorvetes e shakes. 

Com frutos na maior parte do ano, os benefícios da graviola, seja na casca, no fruto, nas sementes, nas raízes ou nas folhas, são os mais diversos, inclusive para o tratamento de doenças. 

De acordo com a nutricionista Ivelise Rodrigues*, a fruta pode auxiliar, por exemplo, no combate a cistite, uma inflamação na bexiga. Pacientes diabéticos ou dores de cabeças constantes, também podem se beneficiar. 

Características 

Conhecida também como pinha, guanabana ou guanabano, a graviola é uma planta que mede de cinco a oito metros e possui uma copa arredondada, com cascas grandes verde-escuras e brilhantes. 

Benefícios da graviola

A graviola possui propriedades anticancerígenas e antioxidantes, desse modo, auxiliando no controle de componentes tóxicos que entram no organismo.

Além disso, a nutricionista Ivelise Rodrigues lista ações antimicrobianas, anti-inflamatórias, antiespasmódicas, anti-depressivas e ansiolíticas.

"Todos esses benefícios são devido à presença de diversos compostos bioativos presentes nas várias partes na planta, como as acetogeninas, alcaloides, flavonoides e esteróis", comenta Ivelise. 

Para que serve:

  • Dores de cabeça frequentes
  • Hipertensão
  • Infecções parasitárias
  • Doenças hepáticas
  • Doenças gastrointestinais
  • Febre
  • Reumatismo
  • Insônia 
  • Tratamento de alguns tipos de câncer

Vitaminas e nutrientes

Além de ser rica em água (80% da composição), a graviola possui diversos nutrientes em suas propriedades, como as Vitaminas A e C, B1, B2 B3 e B9, além de zinco, potássio, magnésio, ferro, cobre, fósforo e cálcio.

A profissional de nutrição clínica Ivelise Rodrigues aponta que as vitaminas e componentes da fruta "são essenciais para o bom funcionamento do corpo humano". 

Como comer?

A profissional de nutrição indica que o melhor consumo da graviola para a obtenção dos benefícios do alimento é o natural. Para isso, ela afirma que se deve sempre escolher as frutas mais maduras e macias, evitando escurecidas, rachadas ou ressecadas. 

graviolas
Legenda: Deve-se sempre procurar escolher as graviolas mais maduras e macias
Foto: Shutterstock

Além disso, é possível consumir a fruta em forma de sucos, sorvetes e shakes. Ivelise comenta que os compostos bioativos da graviola podem ser usadas em cápsulas, como forma de suplementação alimentar, mas isso só deve ser feito com orientação de um nutricionista ou médico. 

A graviola ajuda a combater o câncer? 

Segundo Ivelise Rodrigues, estudos in vitro e in vivo comprovaram a eficácia da graviola no combate a alguns tipos de câncer. 

As substâncias presentes na folha, caule e fruto auxiliam na morte de células cancerígenas, evitando a proliferação e a multiplicação. 

A nutricionista, alerta, porém, que o consumo da graviola não é parte do tratamento principal do câncer, e sim uma terapia complementar. 

Tipos de câncer que podem ser tratados:

  • Câncer de pâncreas 
  • Câncer de pulmão
  • Câncer de próstata 
  • Câncer de mama
  • Cânceres hematológicos 

E a diabetes?

O combate da diabetes pelo consumo da fruta é reconhecido por meio de estudos realizados em ratos, onde se observou a proteção das células pancreáticas. 

Não há pesquisas bem documentadas dos efeitos no corpo humano, conforme a nutricionista. 

"O que se sabe é que a fruta é amplamente utilizada pela medicina popular, sendo importante salientar que não se deve aderir a nenhum tratamento de doenças crônicas sem supervisão médica", pontua Ivelise Rodrigues. 

Graviola ajuda a emagrecer?

Junto a uma alimentação balanceada, a graviola pode auxiliar no processo de emagrecimento. Sua ação antioxidante previne a ação de compostos tóxicos no organismo.

O elevado teor de água na fruta confere hidratação, um dos importantes pontos quando se está tentando emagrecer.  

Ivelise, porém, atenta para o fato de que nenhum alimento isolado tem o poder emagrecer ou engordar. 

Gastrite 

A fruta é considerada "gastroproteora", sendo indicada para o tratamento preventivo de pacientes com gastrite. O consumo conserva o muco da parede estomacal, além de aumentar a atividade de antioxidantes, prevenindo danos na parede gástrica. 

Suco de graviola 

O suco de graviola possui uma boa fonte de nutrientes essenciais para o corpo humano, além de ser um ótimo agente anti-inflamatório.

Copo de suco de graviola ao lado da fruta
Legenda: O suco de graviola possui propriedades anti-inflamatórias
Foto: Shutterstock

A bebida também auxilia na regulação do trânsito intestinal e na redução da pressão arterial. 

Como fazer o suco?

O suco deve ser feito usando a parte branca da fruta (polpa), tradicionalmente conhecida por
ser bem macia. Deve-se retirar os caroços.

Para dois copos do suco:

  • 1 xícara de chá da polpa da fruta (sem os caroços)
  • 500mL de água
  • Gelo, se desejar

Preparo: Adicione todos os ingredientes no liquidificador e bata inicialmente no modo pulsar e depois por 2 minutos no modo normal do liquidificador. Por se tratar de uma fruta doce, não é necessário adicionar açúcar

Como plantar a graviola?

Para plantar um pé de graviola, é necessário separar e preparar as sementes.

As sementes devem ser totalmente submersas na água e ficar de molho por 24 horas, para fortificar as sementes e as plantas nascerem mais fortes, segundo a nutricionista Ivelise Rodrigues. 

Após esse processo, pode-se iniciar o plantio.

Etapas de plantio:

  • Cavar um espaço, não tão fundo (em torno de 5cm), e colocar uma semente de
  • graviola.
  • Cobrir com terra.
  • Vale lembrar: a terra para plantio pode ser adicionada de adubo composto de nutrientes, como
  • o NPK, que auxilia na nutrição da nova planta que irá nascer.

Chá da folha de graviola 

O chá da folha de graviola serve para a prevenção e para o tratamento de diversas doenças, entre elas: artrite, diabetes, problemas gastrointestinais como diarreia e pressão alta. 

Copo de suco de graviola ao lado da fruta
Legenda: O suco de graviola possui propriedades anti-inflamatórias
Foto: Shutterstock

Ivelise Rodrigues alerta que pacientes em tratamento quimioterápico devem evitar beber chá de graviola, pois há risco de o tratamento ser prejudicado. 

Como fazer o chá:

  • 10 gramas de folhas de graviola secas
  • 1 litro de água quente

Modo de preparo: colocar as folhas de graviola em água fervente por cerca de 10 minutos. Em seguida, coe e consuma quando estiver morno, após as refeições. É recomendado o consumo de 2 a 3 vezes ao dia. 

Folha de graviola emagrece?

Isoladamente, o chá da folha de graviola não tem poder de emagrecimento, mas ele pode ajudar a reter líquidos corporais. Essa retenção pode ocasionar uma falsa impressão de perda de peso.

Por isso, é necessário aliar o consumo com uma alimentação bem equilibrada. 

Contraindicações 

O consumo tanto da graviola quanto do chá da sua folha e das sementes não deve ser em excesso. Segundo a nutricionista Ivelise Rodrigues, a fruta possui algumas toxinas que podem afetar a atividade cerebral, e ainda podem causar intoxicação. 

"A indicação e posologia de todo e qualquer chá deve ser por recomendação de um profissional especialista da área", alerta. 

Gestantes podem tomar?

A graviola é contraindicada para gestantes, pois além de reduzir a pressão arterial, ocasiona o relaxamento da musculatura lisa. Isso pode estimular o relaxamento uterino e causar aborto. 

Cachorros podem comer?

Não há estudos que confirmem a segurança do consumo de graviola por cachorros. A indicação é evitar ou consultar um veterinário de confiança para seu pet. 

*Ivelise Rodrigues Cunha é graduada em Nutrição pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR) e pós-graduanda em Nutrição Clínica Funcional pelo Centro de Nutrição Funcional - VP. Atua em consultórios com Nutrição Clínica. Instagram: @ivelisenutri