Manchas de óleo se espalham pelo Litoral Leste do Ceará; veja locais

Com primeiros registros em Aracati, vestígios oleosos foram fotografados por banhistas em vários pontos do Litoral Leste, até Fortaleza

oleo misturado a algas
Legenda: No Aracati, foram recolhidos 20kg de óleo somente nesta quinta (27)
Foto: Reprodução

As manchas de óleo encontradas no Ceará, desde a última terça-feira (25), estão se espalhando rapidamente por todo o Litoral Leste do Estado. 

Além das praias de Canoa Quebrada, Majorlândia, Quixaba, Lagoa do Mato, Fontainha e Cumbe, todas localizadas no município do Aracati, também foram encontrados vestígios oleosos em pelo menos outras cinco praias, em quatro cidades cearenses.

É o que apontam notas oficiais enviadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) do Ceará e pela Marinha do Brasil ao Diário do Nordeste.

Outras confirmações também ocorreram a partir de verificação da reportagem in loco e informações repassadas pelas prefeituras.

Como o trabalho de vistoria e coleta de material acontece ao longo do dia, os dados são passíveis de atualizações ainda nesta quinta-feira (27) e nos próximos dias.

Confira, a seguir, a lista de praias onde a presença do material foi confirmada, até o momento:

  1. Cumbe (Aracati);
  2. Canoa Quebrada (Aracati);
  3. Majorlândia (Aracati);
  4. Quixaba (Aracati);
  5. Lagoa do Mato (Aracati);
  6. Fontainha (Aracati);
  7. Canto da Barra (Fortim);
  8. Pontal do Maceió (Fortim);
  9. Porto das Dunas (Aquiraz);
  10. Prainha do Canto Verde (Beberibe);
  11. Praia do Futuro (Fortaleza).

 

Mais de 35 quilos de óleo recolhidos em Aracati

Conforme a titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda de Aracati, Fátima do Carmo, cerca de 16kg de óleo - sem considerar areia e/ou algas - foram recolhidos na quarta-feira (26). Já nesta quinta, até por volta das 16h30, foram coletados outros 20kg, totalizando, portanto, 36kg do material.

Embora as praias de Majorlândia e Lagoa do Mato tenham amanhecido limpas, equipes da Prefeitura voltaram a identificar outros focos de vestígios oleosos. "Agora à tarde, já chegou óleo em Majorlândia e Lagoa do Mato. Nosso pessoal continua percorrendo [a área] e amanhã o trabalho continua", afirma a secretária.

Em nota, a Marinha do Brasil informou que as amostras coletadas nas praias serão enviadas para análise no Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira (IEAPM), no Rio de Janeiro.

O Núcleo de prevenção e atendimento às emergências ambientais do Ibama-CE realizou uma vistoria em Icapuí, seguindo no sentido Fortaleza. O órgão declarou que também "continuará realizando vistoria nas praias do litoral Leste até o município de Fortaleza, para mapear a totalidade da área atingida".

VEJA VÍDEO DO MATERIAL ENCONTRADO EM CANOA QUEBRADA:

Dinâmica de espalhamento se assemelha a de 2019

Esta não é a primeira vez que o litoral do Ceará é atingido por manchas de óleo. Em 2019, o Estado esteve entre os alvos do maior vazamento de óleo registrado na costa brasileira. 

Assim como há mais de dois anos, o Litoral Leste cearense foi o primeiro a registrar a presença do material oleoso, na terça-feira (25). A diferença é que, desta vez, o material apareceu em menor quantidade e mais fragmentado. 

Por estar à deriva, o espalhamento do material para outros pontos da orla está acontecendo, tal como já previa o professor e pesquisador do Instituto de Ciências do Mar (Labomar), Rivelino Cavalcante. 

"O que estamos vendo aí é que ele [material] está chegando pelo Litoral Leste. Ou seja, do mesmo jeito como aconteceu em 2019: chegou primeiro nas praias do Litoral Leste e depois conseguiu chegar até, por exemplo, no extremo Oeste do Estado, já chegando no Piauí. Certamente vai aparecer em outros lugares", disse ao Diário do Nordeste, nessa quarta (26). 

funcionário do ibama agachado fazendo vistoria na praia
Legenda: Ibama-CE realizou vistorias na orla cearense nesta quinta
Foto: Divulgação/Ibama-CE

Sema

A Secretaria do Meio Ambiente (Sema) divulgou um comunicado nesta quinta, informando que está tomando medidas para "mitigar a situação". 

Uma delas foi entrar em contato com 20 secretários de Meio Ambiente dos municípios da Linha de Costa do Estado do Ceará, pedindo para que atuem monitorando as ocorrências e solicitando um diagnóstico de suas praias e orientando os mesmos para a limpeza.

A Pasta também detalhou que, nesta sexta-feira (28), professores do Labomar, da UFC, e da Universidade Estadual do Ceará (Uece) farão uma inspeção técnica para saber se as manchas são da mesma origem daquelas surgidas em 2019.

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará