A pedido de Camilo, PT adia reunião que iria definir aliança com PDT no Ceará

Petistas têm se reunido com lideranças do PDT na tentativa de manter aliança para disputa do Governo do Ceará

Escrito por Luana Barros, luana.barros@svm.com.br

PontoPoder
Conim, Camilo e Guimarães
Legenda: O presidente do PT Ceará, Antônio Filho, se reuniu com o deputado federal José Guimarães e o ex-governador Camilo Santana
Foto: Reprodução/ Twitter

Enquanto o PDT acelera o processo para definir quem será o candidato governista ao Governo do Ceará, o PT decidiu esperar um pouco mais antes de definir qual rumo irá seguir quanto a sucessão estadual no Ceará. A pedido do ex-governador Camilo Santana (PT), a reunião que seria realizada nesse sábado (2) foi adiada - a nova data ainda será definida. 

A decisão foi tomada no final da noite desta quinta-feira (30) durante reunião entre Camilo, o presidente do PT Ceará, Antônio Filho, e o deputado federal José Guimarães (PT). 

O adiamento tem como principal objetivo "aprofundarmos o debate da manutenção da aliança com o PDT", informou Guimarães por meio de publicação no Twitter. Com maioria dentro do diretório estadual, partiu do deputado um dos maiores gestos de aproximação entre PDT e PT após uma série de atritos em torno da escolha do candidato governista. 

Na última terça-feira (28), ele se reuniu com o presidente estadual do PDT, deputado André Figueiredo. Após o encontro, eles ressaltaram o objetivo de manter a "unidade" entre os partidos - que são aliados desde o início do Governo Cid Gomes, em 2006. 

A nota oficial do PT Ceará também reafirmou este "compromisso prioritário com a manutenção da aliança pelo bem do Ceará e confia na construção de consensos em torno de uma candidatura capaz de unir todas as forças". 

Pedido de Camilo Santana

Distante das movimentações feitas pelo PDT até o momento, Camilo Santana foi quem solicitou, segundo nota oficial do PT, o adiamento da reunião deste sábado. "A decisão, acordada internamente com todas as forças políticas e lideranças internas, atende especialmente à solicitação feita pelo nosso ex-governador Camilo Santana", diz o texto.

O texto afirma que o adiamento foi considerado "o melhor encaminhamento" na expectativa de manter a aliança no Estado. A nota destaca ainda a "parceria com o PDT, sob a liderança do senador Cid Gomes, bem como com os demais partidos que integram essa coalizão", considera "o suporte maior", segundo o texto. 

A nota destaca ainda a "capacidade de diálogo" de Camilo Santana e fala da necessidade "do aprofundamento do projeto exitoso e reconhecido pela maioria da população, que ele liderou pessoalmente nos últimos oito anos". 

Os atritos entre PT e PDT se aprofundaram nas últimas semanas, com lideranças petistas mostrando preferência pela escolha da governadora Izolda Cela (PDT) para concorrer ao Palácio da Abolição. Existe ainda uma resistência por parte da legenda ao nome do ex-prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT).

Concorrem ainda a pré-candidatura do PDT ao governo estadual o presidente da Assembleia Legislativa, Evandro Leitão (PDT), e o deputado federal Mauro Filho (PDT).