Uber: remuneração menor tem causado mais cancelamentos de corridas, dizem motoristas

Segundo um dos diretores da Associação dos Motoristas de Aplicativo do Ceará (AMAP-CE), Rafael Keylon, recente atualização do aplicativo tem deixado insatisfação nos trabalhadores da plataforma

Legenda: Para motoristas do aplicativo em Fortaleza, houve mudança no valor repassado por quilometragem, o que tem gerado insatisfação e causado os cancelamentos frequentes já relatados por usuários da plataforma
Foto: JL Rosa/arquivo SVM

Se os usuários da plataforma de transporte Uber têm feito diversas reclamações em relação ao serviço da empresa, os motoristas do aplicativo também relatam insatisfação com as corridas nos últimos meses. De acordo com profissionais ouvidos pela reportagem, atualizações recentes alteraram os lucros das corridas, gerando um movimento que tem interferido na experiência de quem trabalha e de quem precisa solicitar viagens.

"Uma das principais reclamações da categoria é relacionada ao reajuste das tarifas das corridas, que não acontece há três anos, e que quando aconteceu foi para menos. Inicialmente, a prerrogativa foi a de que fazendo corridas mais baratas teriam mais corridas e isso não colou com a gente", explica Rafael Keylon, diretor da Associação dos Motoristas de Aplicativo do Ceará.

Segundo ele, essa questão é o centro das reclamações recentes dos usuários: a de que os motoristas têm feito cancelamentos sucessivos.

Valores das corridas

Para Rafael Keylon, cancelar determinadas corridas se tornou a única ação válida para garantir que os lucros sejam realmente possíveis correndo pelo aplicativo. 

"O sistema fez uma atualização recentemente na qual diz para o motorista o preço da corrida e a quilometragem dela. Quando se tem o acesso a essas informações, ele calcula de cabeça que tenha pelo menos R$ 1 por KM, o que não acontece. Muitas vezes vemos motoristas recebendo até R$ 0,50 por KM e R$ 0,31 por minuto, que foi aumentado, mas é irrelevante, principalmente quando se está em rodovias na cidade", comenta. Ele relata que, por exemplo, "viagens com valor de R$ 14 passaram a valer R$ 9" e, em consequência, motoristas se recusam a praticar.

Outro motorista, que preferiu não se identificar, conta que presta serviços para a plataforma há cerca de três anos, com mais de 10 mil corridas como cadastrado. Ele desabafa que a sensação é de que os custos para rodar chegam a ser maiores que os valores recebidos.

Custos elevados

"É como se o motorista estivesse subsidiando as viagens, como se o custo fosse nosso. A gente não aguenta mais não. Ou a gente faz isso ou o aplicativo vai acabar parando e eles não dão uma previsão de que a situação vai mudar", afirma sobre os cancelamentos. De acordo com ele, a mobilização tem o intuito de causar algum tipo de mudança.

"Estamos formando grupos que os motoristas envolvidos se mobilizam para o cancelamento, com pessoas de algumas partes do Brasil. Para a gente ganhar dinheiro tem que ser dessa forma, infelizmente, fazendo essa geral. Não queríamos prejudicar os usuários, claro, mas precisamos receber a quantia adequada", opina.

O presidente da Associação dos Motoristas de Aplicativo do Ceará conta que a cidade de Campinas, em São Paulo, também registrou o mesmo problema. "Por lá os motoristas já fizeram uma manifestação para questionar essa mudança e, enquanto isso, estamos monitorando outras cidades do País também".

Uber

Acionada para responder às questões levantadas pelos motoristas, a Uber afirmou que visa o equilíbrio entre motoristas e consumidores da plataforma.

"A Uber mantém seus canais de suporte e comunicação com os parceiros abertos 24 horas por dia, pelo site e aplicativo. Esclarecemos que, por operar um sistema de intermediação de viagens dinâmico e flexível, buscamos sempre equilibrar as necessidades dos motoristas parceiros com a realidade dos consumidores que usam a plataforma, tendo em vista a conjuntura econômica do país", comentou a empresa em parte da nota enviada nesta quinta-feira (3).

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios