Quanto devo juntar para ter uma aposentadoria independente de R$ 5 mil por mês? Veja opções

O tempo é importante aliado para quem quer se planejar para ter uma aposentadoria, seja optando por previdência privada ou por investimentos independentes

casal de idosos olhando computador
Legenda: Quanto antes se inicia o planejamento da aposentadoria, menos será necessário aportar mensalmente
Foto: Shutterstock

A reforma da previdência trouxe regras mais restritas para a aposentadoria por meio do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), implicando um maior tempo de contribuição ou idade mais avançada até a retirada do descanso. 

Mas, com planejamento, é possível conseguir ter uma aposentadoria independente, sendo viável escolher quando e quanto receber – podendo o valor, inclusive, ultrapassar o teto do INSS, que está em R$ 6.433,57 em 2021. 

O valor a ser aportado mensalmente depende diretamente do quanto se pretende ganhar na aposentadoria e da idade em que se inicia o planejamento.  

De acordo com simulações feitas pelo analista de soluções financeiras da Ativa Investimentos, Rodrigo Beresca, é possível garantir uma aposentadoria de R$ 5 mil começando com aportes de até R$ 180, dependendo da idade em que se começa a investir e da rentabilidade do fundo.  

Previdência privada ou investimento independente 

O planejamento da aposentadoria pode ser feito por meio da contratação de um plano de previdência privada ou de forma independente, aportando recursos mensalmente em fundos de longo prazo.  

Ambas opções possuem vantagens e desvantagens, e a escolha entre elas depende, sobretudo, do perfil do cliente. A previdência privada é uma opção mais cômoda, mas pode não atender pessoas que tenham um apetite maior ao risco e busquem rentabilidades maiores. 

Outro ponto a se considerar é a tributação. Planos de previdência do tipo PGBL possibilitam deduzir 12% da renda tributável na hora da declaração de imposto de renda, o que pode fazer uma diferença importante no imposto a se pagar ou na restituição recebida.  

Por outro lado, os investimentos tradicionais não possibilitam dedução e, pelo contrário: são, em sua maioria, tributados.  

“Produtos tradicionais podem render mais do que a previdência. Tudo depende do perfil de risco do cliente. Aqueles que tem perfil mais conservador devem buscar produtos com baixa volatilidade. Moderado pode variar em variável e fixa, e os arrojados podem deixar uma parcela maior em variável”, diz Beresca. 

Questão de tempo 

Quando se deve começar a planejar a aposentadoria? De acordo com o head de educação financeira da Xpeed School, Thiago Godoy, a resposta dessa pergunta é uma só: hoje

Os juros compostos são implacáveis. Quanto antes você começar a buscar esse investimento, mais dinheiro você vai ter ou mais cedo você consegue se aposentar. Quanto antes melhor, e a diferença de você começar com 20 ou 30 é brutal nos valores que você vai ter que aportar para construir o mesmo patrimônio
Thiago Godoy
head de educação financeira da Xpeed School

Isso não significa, contudo, que uma pessoa de 40 ou 50 anos não tenha mais como planejar a aposentadoria. Mas a renda garantida será definitivamente menor do que a de uma pessoa que começou a investir com 25 anos, caso o valor aportado mensal seja o mesmo. 

Para quem começa a se planejar com antecedência, é possível se dar ao luxo de fazer aportes menores mensalmente. Quem já está mais perto da aposentadoria precisa tirar uma parcela maior do orçamento mensal para conseguir uma renda segura.  

Quanto devo juntar para obter uma renda de R$ 5 mil aos 60? 

Fundo com rentabilidade de 6,25% (Selic atual) ao ano 

Idade atual: 25
Aporte mensal: R$ 680,58
Idade atual: 30
Aporte mensal: R$ 968,23
Idade atual: 40
Aporte mensal: R$ 2.116,98
Idade atual: 50
Aporte mensal: R$ 5.998,54 

Fundo com rentabilidade de 7,5% ao ano   

Idade atual: 25
Aporte mensal: R$ 432,19
Idade atual: 30
Aporte mensal: R$ 644,75
Idade atual: 40
Aporte mensal: R$ 1.539,48
Idade atual: 50
Aporte mensal: R$ 4.712,40 

Fundo com rentabilidade de 10% ao ano  

Idade atual: 25
Aporte mensal: R$ 184,49
Idade atual: 30
Aporte mensal: R$ 303,96
Idade atual: 40
Aporte mensal: R$ 872,98
Idade atual: 50
Aporte mensal: R$ 3.137,27 

Onde investir? 

Thiago Godoy recomenda que investidores com perfis mais conservadores busquem opções de previdência privada. É importante na hora da escolha prestar atenção na rentabilidade e na taxa de administração cobrada.  

A escolha entre um plano VGBL e PGBL dependerá da renda do investidor e das vantagens que ele pode obter na hora da declaração. 

Quem prefere investir por conta própria deve prestar atenção em características como risco e volatilidade e considerar opções que remunerem, pelo menos, acima da inflação.  

“Uma categoria adequada são os títulos do tesouro atrelados à inflação. O investidor fazendo aplicação hoje, até o ano de 2050 esse papel vai ser corrigido pelo IPCA + cupom de juros acordado na compra”, indica Rodrigo Beresca. 

Outras opções que são possíveis, sempre colocando o risco na balança: 

  • Fundo imobiliário 

  • Debêntures 

  • Fundos de infraestrutura 

  • Fundos de ações 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios