Liberação gradual de eventos pode favorecer festas de fim ano no Ceará, avaliam setores da Economia

A publicação no Diário Oficial do Estado (DOE) decreta um faseamento, que deve ocorrer a partir dessa segunda-feira (1º)

Escrito por André Costa e Luana Severo, negocios@svm.com.br

Negócios
Festas de fim de ano devem ocorrer no Ceará
Legenda: O Governo do Estado prevê, entre 16 e 31 de dezembro, 2,5 mil pessoas em ambientes fechados e até 5 mil em lugares abertos, 8 horas de duração e até 14 pessoas por mesa
Foto: Shutterstock

A decisão do Governo do Ceará de liberar de forma escalonada, por meio de 4 fases, os eventos no Estado foi avaliada de forma positiva por setores da Economia do Estado. Os representantes acreditam que, al[em de ser uma maneira mais segura de seguir com o retorno, pode favorecer as festas de fim de ano.

A publicação no Diário Oficial do Estado (DOE) decreta um  faseamento, que deve ocorrer a partir dessa segunda-feira (1º) até 31 de dezembro, prevendo as festas com até 5.000 pessoas na última etapa da flexibilização  

O empresário Assis Cavalcante, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Fortaleza, avaliou como “criativa e inteligente” o fato de a ampliação da capacidade dos eventos ter sido estipulada por fases. “Achei muito interessante. Nós estávamos precisando disso, dessa sinalização de retomada da economia”, iniciou Assis. 

[citacao tipo="aspas" ]“Quando o Governo aponta fases, ela passa a mensagem para os empresários de que eles podem se organizar para realização dos eventos do fim de ano, desde que respeitando todas as regras. Isso é muito bom", completou o representante da CDL.[/citacao]

Assis lembrou ainda que quando os setores de bares e restaurantes se aquecem, toda uma cadeia é beneficiada. "O varejo, indústria, pessoas autônomas, como os músicos, todos saem ganhando”. 

Para Circe Jane, presidente do Sindieventos, esse “formato [de escalonamento] traz maior controle e segurança”. Ela também aprovou a medida e corrobora com a avalição de Cavalcante quando ao impacto geral no setor.

“Todas as tipologias de eventos (corporativos,  sociais e de entretenimento) deverão ser beneficiadas com o retorno total da capacidade. Os 52 elos dessa cadeia produtiva”, acrescentou. 

Perspectivas para o fim de ano

Assis e Circe avaliam que, para o fim de ano, as perspectivas para o setor são boas. “As festas vão acontecer, claro que com essa reserva [de seguir as determinações sanitárias]. Mas agora temos um norte. Bares, restaurantes e buffets podem se programar pois já sabem o que será permitido. É um bom avanço,” considerou o presidente da CDL. 

Cremos que para o período do réveillon, já teremos uma abertura e uma flexibilização mais vantajosa aos eventos sociais que atenda à expectativa deste, desde que também decresça o número de contaminação.
Circe Jane
Presidente do Sindieventos

Quando ao Réveillon, a representante do Sindieventos elogiou ainda a "realização de forma descentralizada por parte do Governo e da Prefeitura [de Fortaleza]". Para ela,  a decisão de ter festas em locais distindos "vai gerar maior segurança dos cidadãos e gerar também mais postos de trabalho em distintas regiões da Capital".   

Manutenção dos cuidados 

Para que os indicadores pandêmicos sigam caindo, como tem sido observado nas últimas semanas no Ceará, Jane alerta para importância de o Governo “apoiar a testagem dos participantes [de eventos] e, principalmente, dos profissionais e artistas”.

Ela avalia ainda a necessidade de, além de ampliar os testes, dar “celeridade de resultado e torná-lo mais facilmente acessível aos promotores dos eventos”. 

Quanto aos cuidados, Assis lembra também que ainda não é hora para relaxar nas medidas não farmacológicas, mesmo com esse avanço da economia. “Há uma ansiedade muito grande pela desobrigação do uso de máscara. Mas acredito que ainda é cedo", destacou o presidente da CDL de Fortaleza. 

Precisamos ter prudência para que não tenhamos uma regressão. É fundamental se vacinar e continuar adotando os cuidados necessários.
Assis Cavalcante
Presidente da CDL Fortaleza

VEJA COMO SERÁ POR FASE

  • PRIMEIRA FASE: Prevista para início na segunda-feira (1º) e deve durar até o dia 15 de novembro, capacidade permitida será de 500 pessoas em ambiente fechado e 800 para lugares abertos, com duração máxima de 7 horas e 10 lugares por mesa.

  • SEGUNDA FASE: Prevista para ocorrer de 16 a 30 de novembro, a capacidade avançará para 1.200 pessoas em ambiente fechado e 2.000 em lugares abertos, ainda com duração de 7 horas e 10 pessoas por mesa.

  • TERCEIRA FASE: Prevista para a primeira quinzena de dezembro, serão 2.000 pessoas em lugares fechados e até 3.000 em lugares abertos, com horário de duração máximo de 8 horas e até 12 pessoas por mesa.

  • QUARTA FASE: O Governo do Estado prevê, entre 16 e 31 de dezembro, 2,5 mil pessoas em ambientes fechados e até 5 mil em lugares abertos, 8 horas de duração e até 14 pessoas por mesa.