Inflação do aluguel acumula alta de 17,78% em 2021

O IGP-M deste ano é menor que o registrado em 2020, que fechou com uma aceleração de 23,14%

Escrito por Diário do Nordeste e Estadão Conteúdo,

Negócios
Placa de aluguel no poste
Legenda: Aluguel voltou a acelerar em 2021
Foto: Rodrigo Carvalho

O indicador de inflação do aluguel no Brasil, o Índice Geral de Preços — Mercado (IGP-M) acumulou alta de 17,78% nos 12 meses de 2021, segundo o Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgou nesta quarta-feira (29). Em 2020, o marcador fechou o ano em 23,14%. 

Em comparação a novembro, dezembro registrou um avanço de 0,87%, após uma alta de 0,02% no mês anterior. O resultado ficou acima do esperado pelos especialistas, que indicavam uma alta de 0,74% com estimativas de 0,06% a 1,02%, segundo Projeções Broadcast do jornal Estadão

Conforme a legislação, os contratos de locação devem possuir um índice de correção anual, sem a obrigação de escolha pelo ICP-M, no entanto, como o uso dele foi convencionado no País, o indicador ficou conhecido popularmente como inflação do aluguel. 

Alta puxada pelo IPA-M

A aceleração do IGP-M deste mês foi puxada pelo Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA-M), que inverteu o sinal e passou de deflação de 0,29% em novembro para alta de 0,95%. O índice de preços no atacado acumulou inflação de 20,57% em 2021, após 31,63% em 2020.

"O resultado deste mês foi influenciado pela aceleração dos preços de bovinos (11,69%), reflexo da demanda doméstica e da retomada das exportações, e pela aceleração dos preços de safras afetadas por geadas e seca, como café (12,52%) e cana-de-açúcar (2,83%)", explicou o coordenador dos índices de preços do FGV Ibre, André Braz, ao jornal Folha de S. Paulo

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC-M) desacelerou de 0,93% em novembro para 0,84% em dezembro. A inflação ao consumidor encerrou o ano com avanço total de 9,32%, bem acima dos 4,81% registrados no ano passado.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC-M) desacelerou de 0,71% em novembro para 0,30% em dezembro, conforme já havia sido divulgado pela FGV na última quinta-feira (23). O indicador acumulou alta de 14,03% em 2021, após 8,66% em 2020.

Telegram

Antes de ir, que tal se atualizar com as notícias mais importantes do dia? Acesse o Telegram do DN e acompanhe o que está acontecendo no Brasil e no mundo com apenas um clique: https://t.me/diario_do_nordeste