Flexibilização traz pequeno alívio para comércio cearense, mas setor espera ampliação de horário

Segundo o presidente da Fecomércio-CE, Maurício Filizola, a flexibilização anunciada nesta sexta "ainda não é o que os empresários esperavam". Setor quer funcionar em período da noite para favorecer vendas

Legenda: Setores esperam nova ampliação de horários de funcionamento das atividades para a próxima semana
Foto: Foto: JL Rosa

A liberação do funcionamento do comércio aos fins de semana pelo novo decreto anunciado nesta sexta-feira (30) pelo governador Camilo Santana traz um pequeno alívio para o setor,  “mas ainda não é o que os empresários esperavam”, diz o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Ceará (Fecomércio-CE), Maurício Filizola.  

O novo decreto, válido a partir de segunda-feira (2), autoriza a abertura do comércio de rua, restaurantes e barracas de praia das 10h às 15h aos sábados e domingos. Já os shoppings abrirão das 12h às 17h, incluindo praça de alimentação. Aos fins de semana, o toque de recolher começa às 19h. 

Ao longo da semana, permanecem as regras já definidas pelo decreto atual, incluindo toque de recolher das 20h às 5h. 

“O setor produtivo está muito mais fragilizado do que na primeira onda, e esses desafios tornam as empresas mais fragilizadas. Claro que quando amplia uma área de atendimento, como é agora para o final de semana, isso traz benefícios. Mas ainda não é o que o setor produtivo esperava, os empresários esperavam um pouco mais de amplitude”, declarou Filizola. 

O presidente da Fecomércio afirma que as ações do governo em relação à saúde pública devem ser respeitadas e apoiados pelo setor, mas cobra avanços. 

"Nós temos essa responsabilidade, mas temos que avançar. Acho que cada um cumprindo sua parte, a gente pode avançar com segurança”, justifica. 

A ampliação sugerida pelo setor produtivo é a abertura das lojas e serviços no horário da noite, até 22h. Ficando as lojas de rua de 9h às 19h abertas.  “Foi uma reivindicação que tivemos do empresariado do comércio de bens e serviços”, diz Maurício Filizola.  

Expectativa para o Dia das Mães 

O presidente da Fecomércio também comentou a expectativa das vendas para o Dia das Mães. De acordo com ele, os números "são até positivos”, mas os horários liberados até então não favorecem as vendas. 

Segundo pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Ceará (IPDC) da Fecomércio, 51,7% dos consumidores pretendem ir às compras para o Dia das Mães. 

A pesquisa também mostra que 60,4% pretendem comemorar a data. O levantamento foi feito entre os dias 23 e 28 de abril. 

REGRAS EM VIGOR A PARTIR DE SEGUNDA-FEIRA (3 DE MAIO):

  • O Ceará continua em isolamento social, com toque de recolher de segunda a sexta-feira das 20h às 5h;
  • Atendimento presencial liberado para café da manhã a partir de 6h em padarias, supermercados e congêneres, valendo também no fim de semana;
  • Comércio de ruas e serviços, como restaurantes e barracas de praia, funcionam das 10h às 16h. Aos fins de semana, o funcionamento será das 10h às 15h;
  • Shoppings, incluindo praça de alimentação, funcionam das 12h às 18h. Aos fins de semana, abrem das 12 às 17h;
  • Toque de recolher, aos fins de semana, das 19h às 5h;
  • Construção civil pode iniciar as atividades a partir das 7h;
  • Atividades físicas individuais podem ser realizadas em espaços públicos e abertos;
  • Aulas presenciais nas escolas estão permitidas até o 9º ano do ensino fundamental;
  • Academias de ginástica podem funcionar das 6h às 18h;
  • Igrejas e templos podem funcionar com 25% da capacidade, inclusive nos fins de semana.
Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios