Entenda como funciona o golpe do Pix agendado e saiba como se prevenir

Criminosos induzem vítimas a devolver transferência agendada e a cancelam antes que seja efetivada

Golpes do Pix Agendado
Legenda: Marcelo Casal Jr/Agência Brasil
Foto: Marcelo Casal Jr/Agência Brasil

Apesar da facilidade e rapidez para transferir dinheiro que tornam o Pix cada vez mais popular, ele não está livre de fraudes. Um novo golpe utilizando a plataforma de pagamentos instantâneos lançada pelo Banco Central em novembro tem sido alertado por autoridades.

Conforme relatos, os criminosos usam o Pix Agendado, uma função que permite que o cliente agende uma transferência para uma data futura.

As instituições financeiras podem ou não oferecer essa funcionalidade por enquanto, mas a partir de 1º de setembro ela passará a ser obrigatória. O objetivo é permitir que todos possam agendar um pagamento

Entenda o golpe e saiba como se proteger: 

Como funciona o golpe do Pix Agendado? 

Os criminosos lançam a isca a partir do agendamento de um pix à vítima, que é notificada pelo próprio banco sobre a operação.

Os golpistas entram em contato com ela informando que a transferência aconteceu por engano e pedem que a vítima devolva o dinheiro o mais rápido possível.

Mas como a função de agendamento não transfere o recurso imediatamente, e sim somente na data escolhida, o dinheiro ainda não caiu efetivamente na conta da vítima e pode ser cancelado a qualquer momento.

O objetivo dos golpistas é induzir a vítima a transferir o dinheiro na hora e, para isso, utilizam de artifícios de engenharia social para convencê-la que alguém precisa muito, e urgentemente, daquele recurso.

Caso a vítima “devolva” o valor do Pix Agendado, o golpista cancela a transação e fica com o dinheiro

Como se proteger?

A recomendação é ficar alerta se receber uma notificação de Pix Agendado e for procurado por alguém para devolver o valor.

Nesse caso, o ideal é informar ao solicitante que é possível cancelar a operação enquanto não chegar à data do agendamento.

O Pix Agendado existe? 

Sim, desde o lançamento do Pix, em novembro de 2020. Com o Pix Agendado, os usuários podem agendar um pagamento para uma data futura. 

Atualmente, algumas instituições financeiras optaram por não disponibilizar o serviço. No entanto, a partir de 1º de setembro de 2021 essa função passará a ser obrigatória a todas as instituições. 

Segundo o Banco Central, o objetivo desta mudança é garantir a todos os usuários do Pix a possibilidade de agendar um pagamento instantâneo. 

O que fazer se for alvo do golpe? 

O recomendado é coletar todas as informações que se tiver sobre o golpista, seja o print do comprovante do Pix Agendado ou o número do telefone pelo qual ele entrou em contato.

Em seguida, deve-se fazer um Boletim de Ocorrência na Polícia.  

Com o registro policial em mãos, a vítima também pode entrar em contato com a instituição financeira para buscar outras alternativas. 

O Pix é seguro? 

Sim, o Pix possui etapas de autenticação e criptografia, além das camadas de segurança dos próprios apps dos bancos, e é tão seguro quanto uma transferência TED ou DOC.

Banco Central se pronuncia

De acordo com o Banco Central (BC), esse formato de golpe "não pode ser executado". A autoridade monetária afirma que o recebedor de um Pix agendado só recebe a notificação quando o dinheiro cai na conta, não no momento do agendamento.

Além disso, um agendamento pode ser cancelado a qualquer momento. Dessa forma, em caso de engano, o próprio autor do pagamento pode desfazer a transação sem o conhecimento do destinatário.

Segundo o BC, não existe a possibilidade de a vítima receber uma notificação de um dinheiro que não caiu na conta. O órgão ressalta que as notificações relativas ao Pix são recebidas apenas por meio do aplicativo da instituição financeira, não por meio de SMS ou de aplicativos de mensagens.

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios