Comércios e restaurantes fecham no fim de semana durante lockdown no Ceará; veja o que funciona

No período, somente os estabelecimentos que oferecem serviços essenciais podem operar com expediente presencial

Escrito por Redação,

Negócios
Lojas do Centro de Fortaleza fechadas em abril de 2021
Legenda: Os setores do comércio e serviços são alguns do que ficam fechados durante o período de isolamento social rígido
Foto: Fabiane de Paula

Todos os municípios do Ceará retornam ao regime de lockdown neste fim de semana. Conforme o decreto estadual, a flexibilização das atividades econômicas que autoriza o funcionamento do comércio, e demais setores, vale apenas nos dias úteis. Ou seja, neste sábado (24) e domingo (25), a população em geral deve se manter em isolamento social rígido.

Durante o período, somente os estabelecimentos que oferecem serviços essenciais podem operar com expediente presencial, como setores de venda de alimentos, de atenção à saúde e de abastecimento de veículos. 

O atual decreto em vigência foi publicado no dia 17 de abril e vale até o próximo domingo, data em que deve ser renovado ou modificado. No documento, o governador Camilo Santana liberou a prática de atividades físicas individuais em espaços públicos e abertos. 

VEJA OS SERVIÇOS QUE ABREM NO FIM DE SEMANA:

  • Serviços públicos essenciais; 
  • Farmácias; 
  • Supermercados/congêneres;
  • Indústria;
  • Postos de combustíveis;
  • Hospitais e demais unidades de saúde e de serviços odontológicos e veterinários de emergência; 
  • Laboratórios de análises clínicas; 
  • Segurança privada; 
  • Imprensa, meios de comunicação e telecomunicação em geral;
  • Funerárias.
  • Já os setores incluídos no processo de retomada da economia, que começou na última segunda-feira (12) nos 184 municípios do Ceará, deverão fechar as portas no fim de semana.

NÃO FUNCIONAM ENTRE SÁBADO E DOMINGO:

  • Comércio de rua e serviços;
  • Shoppings;
  • Restaurantes;
  • Ensino infantil e fundamental de escolas;
  • Igrejas.

A única exceção prevista no decreto é para restaurantes de hotéis, pousadas e congêneres, que poderão abrir exclusivamente para o "atendimento de hóspedes, identificados física e individualmente", cabendo a eles a responsabilidade pelo controle.

Os estabelecimentos que vendem refeições e o comércio de rua e serviços podem operar, porém, apenas por sistema de delivery. Instituições religiosas podem realizar celebrações com transmissão virtual, sem a presença do público. 

Por ainda não estarem no cronograma de flexibilização do Governo do Estado, permanecem fechados durante toda a semana: academias, espaços coletivos em condomínios, parques aquáticos, barracas de praia, cinemas, museus e teatros.