Comércios e restaurantes fecham no fim de semana durante lockdown no Ceará; veja o que funciona

No período, somente os estabelecimentos que oferecem serviços essenciais podem operar com expediente presencial

Lojas do Centro de Fortaleza fechadas em abril de 2021
Legenda: Os setores do comércio e serviços são alguns do que ficam fechados durante o período de isolamento social rígido
Foto: Fabiane de Paula

Todos os municípios do Ceará retornam ao regime de lockdown neste fim de semana. Conforme o decreto estadual, a flexibilização das atividades econômicas que autoriza o funcionamento do comércio, e demais setores, vale apenas nos dias úteis. Ou seja, neste sábado (24) e domingo (25), a população em geral deve se manter em isolamento social rígido.

Durante o período, somente os estabelecimentos que oferecem serviços essenciais podem operar com expediente presencial, como setores de venda de alimentos, de atenção à saúde e de abastecimento de veículos. 

O atual decreto em vigência foi publicado no dia 17 de abril e vale até o próximo domingo, data em que deve ser renovado ou modificado. No documento, o governador Camilo Santana liberou a prática de atividades físicas individuais em espaços públicos e abertos. 

VEJA OS SERVIÇOS QUE ABREM NO FIM DE SEMANA:

  • Serviços públicos essenciais; 
  • Farmácias; 
  • Supermercados/congêneres;
  • Indústria;
  • Postos de combustíveis;
  • Hospitais e demais unidades de saúde e de serviços odontológicos e veterinários de emergência; 
  • Laboratórios de análises clínicas; 
  • Segurança privada; 
  • Imprensa, meios de comunicação e telecomunicação em geral;
  • Funerárias.
  • Já os setores incluídos no processo de retomada da economia, que começou na última segunda-feira (12) nos 184 municípios do Ceará, deverão fechar as portas no fim de semana.

NÃO FUNCIONAM ENTRE SÁBADO E DOMINGO:

  • Comércio de rua e serviços;
  • Shoppings;
  • Restaurantes;
  • Ensino infantil e fundamental de escolas;
  • Igrejas.

A única exceção prevista no decreto é para restaurantes de hotéis, pousadas e congêneres, que poderão abrir exclusivamente para o "atendimento de hóspedes, identificados física e individualmente", cabendo a eles a responsabilidade pelo controle.

Os estabelecimentos que vendem refeições e o comércio de rua e serviços podem operar, porém, apenas por sistema de delivery. Instituições religiosas podem realizar celebrações com transmissão virtual, sem a presença do público. 

Por ainda não estarem no cronograma de flexibilização do Governo do Estado, permanecem fechados durante toda a semana: academias, espaços coletivos em condomínios, parques aquáticos, barracas de praia, cinemas, museus e teatros.  

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios