Bolsonaro volta a dizer que pretende reajustar Bolsa Família e mudar nome do programa

Sugestão do presidente é chamar o programa social de Auxílio Brasil

bolsonaro de máscara
Legenda: Declaração foi dada durante a posse do novo ministro, Ciro Nogueira
Foto: Isac Nóbrega/PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reafirmou nesta quarta-feira (4) que pretende reajustar em pelo menos 50% o valor oferecido pelo Bolsa Família. Ele sugeriu mudar o nome do programa para Auxílio Brasil.

"Estamos aprofundando de modo que tenhamos um novo programa, Auxílio Brasil, pelo menos 50% maior do que o Bolsa Família. Os outros 50% vou deixar para o Paulo Guedes anunciar", disse, na cerimônia de posse do novo ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira.

A equipe econômica estuda aumentar, até o fim deste ano, o atual benefício médio de R$ 190 para o mínimo de R$ 300 (ampliação de 57,9%) ou R$ 400 (105,3% a mais).

Financiamento de reajuste

O meio de financiar o reajuste é objeto de disputas internas no Planalto. O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu, em reunião com os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), o parcelamento dos precatórios. A medida abriria espaço no Orçamento para a ampliação do programa de assistência social.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios