Após 25 anos, restaurante L'Escale do Centro de Fortaleza fecha as portas

O restaurante agradeceu aos "fiéis clientes" e confirmou que continuará atendendo via aplicativo e na unidade da Heráclito Graça

Escrito por Matheus Facundo, matheus.facundo@svm.com.br

Negócios
fachada e interior do lescale em fortaleza
Legenda: O Palecete, como era conhecido, funcionava no Centro desde 1996
Foto: Reprodução/Mapas Apple

A charmosa unidade do restaurante L'Escale localizada na rua Guilherme Rocha, Centro de Fortaleza, fecha as portas nesta quinta-feira (30), após 25 anos. Conhecido como Palacete, o local já funcionou por anos como self-service de almoço e oferecia massas, salgados e bolos, mas pereceu com pandemia e o encarecimento dos alimentos e já não funcionará mais a partir de sexta-feira (31).

A baixa demanda da loja já ocorria antes mesmo da pandemia, como relembra a gerente Wilrilene Dantas, 38. O self-service já estava fechado há alguns meses, e atualmente o local só servia macarronadas e salgados. 

"Não tem o mesmo movimento. A demanda é muito pouca para o serviço prestado e não batia a receita. O centro também hoje é um lugar abandonado e não tem muita segurança", conta a funcionária do L'Escale desde 2004.

O quadro de funcionários também já estava reduzido no local. Dos cinco que restaram, apenas dois seguirão na outra sede do empreendimento, na avenida Heráclito Graça. Os outros conseguiram outros trabalhos. Nenhuma pessoa sairá desempregada, garantiu a gerente.

Memórias 

Em comunicado nas redes sociais nesta quarta-feira (29), o L'Escale agradeceu aos "fiéis clientes" e confirmou que continuará atendendo via iFood e na unidade da Heráclito Graça. 

mesas dentro do lescale em fortaleza
Legenda: O encarecimento de preços após a pandemia e a baixa demanda de clientes forçou o fechamento
Foto: Lígia Costa

"A gente já sabia que ia fechar há algum tempo. Era para fechar antes, mas o dono do prédio onde o restaurante fica tinha pedido para a gente não sair, pois o local é um prédio histórico e ia ficar abandonado", explica Wilrilene. 

A gerente conta que ficará a saudade, mas o sentimento sempre foi de que eventualmente o fechamento ocorreria: "São memórias, mas como a gente sempre soube da situação, não compensava. É triste, mas não adiantava. Ficou inviável".